Economia

Startup pernambucana desburocratiza processo de abertura de lojas virtuais

Simples, especializada em e-commerce, oferta o lançamento de páginas em até 24 horas, criando ambiente de pagamento mais seguro

Pedro Alexandria afirma que plataforma ajuda lojista a criar estratégias de vendas. Foto: Simples/Divulgação

Falta de conhecimento, medo dos custos de mão de obra especializada, burocracia e tempo de desenvolvimento. Estes são os principais obstáculos para que pequenos e médios empreendedores criem lojas virtuais. Por isso mesmo, a maioria deles acaba comercializando seus produtos através do Instagram e Whatsapp, sem um ambiente de pagamentos seguro e sem o controle das vendas. Pensando nesses obstáculos como oportunidades de mercado, os empresários Pedro Alexandria e Eduardo Aguiar decidiram montar a Simples, startup especializada em e-commerce que trabalha com a simplificação das lojas virtuais e oferta o lançamento de páginas em até 24 horas. Fundada em 2016, a empresa criou um método exclusivo de redução de burocracia e comunicação facilitada e foi premiada no ano passado como a ideia mais promissora do programa Mind the Bizz, do Porto Digital. Hoje, no portfólio, a Simples já tem mais de 100 lojas ativas e espera fechar o ano com 300. Para 2019, o número esperado é de 2,5 mil e-commerces lançados.

"A ideia surgiu a partir da análise de mercado e de experiências com a criação de sites. Percebemos muita dificuldade dos microempreendedores para criar lojas virtuais que, como alternativa, buscam as redes socais. A questão é que na hora de finalizar a compra, os clientes preferem um ambiente seguro de pagamento", afirma Pedro, CEO da marca. Segundo ele, além dessa questão, o e-commerce também ajuda ao empresário para que ele capture informações de seus consumidores, perfis, hábitos de compras e preferências. "Com isso, o lojista pode criar estratégias de vendas para atingir seu público-alvo com mais assertividade e eficiência. O e-commerce e as redes sociais se complementam, mas cada um têm uma função e uma importância", completa. Ele ressalta que a Simples realizou uma pesquisa no primeiro semestre de 2018 com mais de 400 negócios e, entre os perfis observados, 79% dos empreendedores digitais oferecem e vendem seus produtos e serviços por meio do WhatsApp e Instagram e apenas 21% possuem uma loja virtual.

Na Simples é possível lançar uma loja online em até 24h, sem mensalidades nem custo de instalação. "O objetivo principal da nossa startup é criar uma inclusão digital e aproximar o comércio eletrônico do empreendedor que não tem conhecimento sobre o tema, através de uma plataforma de fácil utilização. Ele só paga um pequeno percentual sobre as vendas se e quando vender", acrescenta o CEO. Na plataforma, é possível ainda organizar e controlar os pedidos de vendas e fazer transações e pagamentos da própria empresa. Os dados divulgados pelo Ebit no início deste semestre atestam que as vendas pela internet totalizaram R$ 47 bilhões em 2017 em todo o mundo e a estimativa para 2018 é de um crescimento de 12% neste valor. Destas compras, 48% já representam o mercado mobile. "Muitas empresas não aderiram ainda porque a loja virtual por si só não consegue se promover sozinha. O básico é ter bons produtos, gerenciar o estoque, ter preços competitivos, boas fotos, gerar conteúdo, divulgar nas redes e cumprir prazos de envio".

Leia a notícia no Diario de Pernambuco
Loading ...