Embate ANP cobra transparência da Petrobras na formação de preço de combustíveis A agência foi criticada por acenar com novas regras para a divulgação dos preços dos combustíveis que poderiam colocar em risco estratégias comerciais da Petrobras, por ter que revelar dados estratégicos

Por: AE

Publicado em: 22/08/2018 14:23 Atualizado em:

Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil (Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil)
Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
As novas regras para dar transparência aos ajustes de combustíveis que estão sendo elaboradas pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) vão obrigar as empresas a informar qual a referência internacional que utilizam para fazer os ajustes e o custo que têm com a internação dos produtos no Brasil, explicou o diretor-geral da ANP, Décio Oddone.

A agência foi criticada por acenar com novas regras para a divulgação dos preços dos combustíveis que poderiam colocar em risco estratégias comerciais da Petrobras, por ter que revelar dados estratégicos. "Algumas das prerrogativas que ela (Petrobras) tinha como braço estatal deixam de estar presentes e aumenta a necessidade de haver regulação. Uma empresa que age para maximizar legitimamente seu lucro, e sou favorável a isso, não deve ser monopolista no refino, não deve ter concentração excessiva em nenhum mercado - e ela tem no gás natural -, e tem que ser mais transparente na formação de preço, enquanto a competição não vem", afirmou.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.