Abertura comercial feita pelo Brasil é de forma negociada, diz ministro O ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marco Jorge de Lima, que participou da abertura do Congresso Aço Brasil

Por: AE

Publicado em: 21/08/2018 11:07 Atualizado em:

A entidade vem criticando o governo por promover abertura comercial mesmo diante das assimetrias enfrentadas pela indústria nacional. Foto: Reprodução/ Flickr
A entidade vem criticando o governo por promover abertura comercial mesmo diante das assimetrias enfrentadas pela indústria nacional. Foto: Reprodução/ Flickr
A abertura comercial que vem sendo trabalhada pelo Brasil ocorre de forma negociada "para o desenvolvimento dos dois lados" envolvidos, disse nesta terça-feira (21) o ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marco Jorge de Lima, que participou da abertura do Congresso Aço Brasil, organizado pelo Instituto Aço Brasil (IABr). A entidade vem criticando o governo por promover abertura comercial mesmo diante das assimetrias enfrentadas pela indústria nacional, em um momento em que o mundo vem tomando medidas protecionistas.

"Não estamos trabalhando em uma abertura unilateral, é uma abertura negociada. E se não enfrentarmos essa questão, nunca sairemos da 25º posição mundial de exportador, sendo a 9ª maior economia do mundo", disse o ministro.

O presidente da Usiminas, Sergio Leite, que acaba de ser nomeado presidente do Conselho Diretor do IABr, destacou que apenas a América do Sul não apresentou reação ao quadro protecionista mundial, que foi iniciado com invocação da medida 232 pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que impôs cotas ou sobretaxas ao aço e alumínio importado pelo país.

"Temos que refletir a nossa posição. O Brasil precisa voltar a crescer e ser protagonista em nível internacional", afirmou.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.