Telefonia Claro mira no mercado corporativo Empresa oferece pacotes que podem ser moldados de acordo com demanda da empresa e ainda ferramenta que controla o uso dos serviços

Por: Luciana Morosini

Por: Rochelli Dantas - Diario de Pernambuco

Publicado em: 04/08/2018 10:00 Atualizado em: 02/08/2018 19:24

André Peixoto diz que aposta do setor é justificada pelo alto número de empresas em funcionamento no estado. Foto: Thalyta Tavares/Esp.DP (Foto: Thalyta Tavares/Esp.DP)
André Peixoto diz que aposta do setor é justificada pelo alto número de empresas em funcionamento no estado. Foto: Thalyta Tavares/Esp.DP
Em tempos de crise econômica, reduzir custos se tornou prática essencial nas empresas. E a telefonia foi um dos principais setores impactados pela prática. Por isso, muitas empresas passaram a olhar para o mercado corporativo com mais atenção. No setor de telefonia, a prática é recorrente. A Claro, por exemplo, oferece pacotes adaptáveis para cada tipo de negócio e perfil empresarial. A estratégia vem para atender a uma demanda crescente. Segundo o diretor regional Nordeste da Claro, André Peixoto, Pernambuco tem um volume de pelo menos 200 mil CNPJs. “É um mercado potencial e o plano corporativo tem facilidades de uso e é ajustável de acordo com o que está sendo utilizado”, pontua.

Tem crescido a demanda do mercado corporativo?
Ano a ano vem aumentando acima de dois dígitos o número de contratos no setor corporativo, principalmente em Pernambuco. Vemos um reaquecimento da economia, ainda que pequeno. E o empresário está fazendo estudo para diminuir custo. Ele quer diminuir a conta dele para não ter surpresa. Então, são pontos importantes. Economia vai reaquecendo, as pessoas vão fazendo mais contas das coisas e fazendo melhor uso.

Esse aumento da procura do setor pode ser atribuído à crise?
Não diria que foi pela crise, mas para gerenciar melhor os custos. A crise fez com que as pessoas olhassem mais para a questão de estrutura de custos dentro das empresas. Nos corporativos eles podem moldar os planos de acordo com o que tem de demanda, isso atrai.

O que avançou na questão dos planos?
A Claro viu que as pessoas precisavam de mais liberdade para uso. Em maio de 2017, a empresa lançou os planos ilimitados de voz. Com isso, passou a dar mais oportunidades. Hoje pode contratar de acordo com o uso. Então, além de aperfeiçoar gestor online, que já está na terceira versão, também passou a embutir franquias novas de dados até porque lançou a tecnologia 4.5G e uma das cidades pioneiras foi o Recife e isso fez com que as pessoas pudessem usar mais aplicativos seja de automação de vendas, seja de gerenciamento ou de entretenimento. Hoje você consegue ter velocidade até dez vezes mais rápida do que quando era 3G ou 4G.

O que compõe a cesta de produtos do segmento?
Lançou o Claro Total individual onde pode fazer contratação individual de dados. Você não compartilha dados. Você distribui para cada usuário do pacote uma franquia de dados. Pode ter também o gestor online, para observar o tempo de uso, que tem se tornado ferramenta fundamental de controle de custos, e WhatsApp sem descontar da franquia de dados. É composto ainda por SMS à vontade, além de aplicativos de segurança porque pessoas têm que se precaver com relação à segurança do aparelho e dos dados. Outra aposta são os passaportes, que são pacotes fixos para uso de franquia fora do país. Temos os passaportes América e Europa, que são valores fixos para uso das franquias no exterior.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.