Preço Procon Jaboatão constata variação de até 402% em itens da cesta básica Diferença no preço dos produtos é notada entre estabelecimentos; recomendação é de que o consumidor visite mais de um local

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 30/07/2018 15:36 Atualizado em: 30/07/2018 15:49

Batata inglesa e cebola são os itens com maior variação de estabelecimento para estabelecimento; 402% e 336%, respectivamente. Foto: Chico Bezerra/PJG (Foto: Chico Bezerra/PJG)
Batata inglesa e cebola são os itens com maior variação de estabelecimento para estabelecimento; 402% e 336%, respectivamente. Foto: Chico Bezerra/PJG
O Procon do Jaboatão dos Guararapes divulgou, nesta segunda-feira (30), uma pesquisa de variação de preços dos itens mais consumidos pela população nos principais supermercados do município. O levantamento, realizado no período de 16 a 26 de julho, constatou diferença de até 402% no valor de um mesmo produto vendido em estabelecimentos comerciais diferentes. A variação de preços, segundo o órgão, se deu especialmente em razão de alguns supermercados apresentarem poucas opções de produtos, privilegiando marcas de valores mais elevados.

Encabeçam a lista dos produtos com maior variação de preços a batata inglesa (402%), a cebola (336%), o pão de forma (296%), o leite em pó integral (259%), o creme dental (248%), o absorvente (238%), o tomate (221%) e a banana prata (200%). O valor mais alto do quilo da batata inglesa comercializada no município chega a R$ 6,99, podendo ser encontrado, também, por R$ 1,39. No caso do quilo da cebola, as diferenças são significativas, indo de R,35 a R$ 1,99, assim como o pão de forma de 500g, que varia de R$ 1,99 a R$ 7,89.

No comparativo entre as pesquisas de junho e julho, o Procon Jaboatão verificou que houve deflação em julho e os preços retornaram aos valores praticados antes da greve dos caminhoneiros. Isoladamente, a categoria de alimentos acumulou uma baixa de 6% no preço médio. As reduções mais significativas foram observadas na cebola (43%), batata inglesa (39%), tomate (29%) e carne de segunda com osso (20%).

"Algumas particularidades precisam ser observadas. Apesar dos preços médios terem retornado ao patamar praticado antes da greve, o consumidor precisa ficar atento, pois isso não significa uma baixa de preços. Percebemos, conforme esses estudos que fazemos mensalmente, que a cesta básica está mais onerosa para o consumidor. É nosso compromisso, para com o consumidor, alertar para a importância de visitar mais de um centro de compras em busca do menor preço", ressaltou José Rangel, superintendente do Procon Jaboatão.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.