DP Empresas Projeto para deixar cultivo da banana mais competitivo no estado Projeto beneficia agricultores da Zona da Mata Norte e do Agreste Setentrional com cursos e unidades demonstrativas

Por: Luciana Morosini

Publicado em: 29/07/2018 10:00 Atualizado em: 26/07/2018 19:45

Produto é uma das principais alternativas para obtenção de renda de agricultores. Foto: Bernardo Dantas/Arquivo DP
Produto é uma das principais alternativas para obtenção de renda de agricultores. Foto: Bernardo Dantas/Arquivo DP

Pela importância da banana como produto para movimentar a economia pernambucana e uma das principais alternativas para obtenção de renda de agricultores da Zona da Mata Norte e do Agreste Setentrional, um projeto volta as atenções para as duas regiões como forma de tornar a produção mais competitiva. No total, 350 agricultores estarão envolvidos na iniciativa da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), em parceria com o Instituto Agronômico de Pernambuco (Ipa), e receberão cursos de qualificação em Tecnologia da Cultura da Banana. Além disso, por meio do projeto, serão instaladas nove Unidades Demonstrativas e uma Unidade Agroindustrial.

A banana tem um papel importante para Pernambuco e, principalmente, para a Zona da Marta Norte e Agreste Setentrional, região mais importante para o produto no estado, tanto do ponto de vista econômico e como também social. "O produto é uma das principais pautas agrícolas do estado e serve como forma de desenvolvimento para as duas regiões. A nossa intenção é de profissionalizar tecnicamente os produtores e toda a cadeia produtiva, desde o cultivo até a comercialização", afirma Antônio Xavier, presidente da AD Diper.

Para Álvaro França, gerente de Arranjos Produtivos Locais da AD Diper, todo cultivo passa por atualizações e a ideia é que, com os cursos, os agricultores locais possam melhorar os seus processos produtivos. "O objetivo é garantir um olhar para essas cadeias produtivas de Pernambuco para sempre tentar solucionar qualquer gargalo que encontrar, seja da melhoria da tecnologia, do aumento da produtividade ou implementar variedades", explica.

Além dos cursos, também serão instaladas Unidades Demonstrativas em cada município atendido pelo projeto, sendo duas Unidades Irrigadas e sete Unidades de Sequeiro, que é uma técnica agrícola para cultivar terrenos onde a pluviosidade é pequena."Vamos implantar meio hectare com três novas variedades, que são recém-lançadas e ainda têm pouco aqui. Elas são adaptadas à região, são tolerantes a algumas doenças na cultura da banana e representam uma maior produtividade", explica Álvaro França. "Além disso, elas vão gerar novas mudas que vão ser distribuídas para os pequenos agricultores e isso vai acabar se replicando", acrescenta. O projeto ainda vai contemplar o interior do estado com o fortalecimento de uma Unidade Agroindustrial.

Em relação à questão social, o artesanato desenvolvido com a banana também será beneficiado pela iniciativa, ou seja, as pessoas que produzem decorações, como caixas, porta-joias, vasos e outros itens a partir da palha da bananeira, também serão inseridos no programa com objetivo de adquirir mais conhecimentos sobre empreendedorismo, administração e conceito de marca. Serão realizados cursos sobre a gestão do artesanato, a compra de novos maquinários e a inserção destes profissionais em feiras.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.