Indústria Lançando produtos para se estabilizar Para vencer a crise econômica, a Fruta Pluss coloca no mercado novos produtos, diversifica público atendido e espera crescer 23% este ano

Por: Rochelli Dantas - Diario de Pernambuco

Publicado em: 21/07/2018 09:00 Atualizado em: 19/07/2018 18:54

Empresa hoje conta com 195 funcionários e linha de produção automatizada. Foto: Divulgação/Fruta Pluss (Foto: Divulgação/Fruta Pluss)
Empresa hoje conta com 195 funcionários e linha de produção automatizada. Foto: Divulgação/Fruta Pluss
Investir em novos produtos foi a saída que a diretoria da Fruta Pluss encontrou para enfrentar os momentos de crise econômica. Este ano, dois novos produtos com o selo da marca entraram em circulação: água de coco e sucos em copo. Neste semestre, a empresa, que tem 24 anos de operação e está instalada na capital pernambucana, se prepara para integrar ao portfólio uma linha de chás. A estratégia tem dado certo. Ao menos é o que as expectativas demonstram. Se no ano passado o faturamento teve uma queda de 17%, neste ano, a previsão é de um crescimento de 23%, recuperando o prejuízo de 2017.

O lançamento de novos produtos vem sendo realizado desde 2016, quando a empresa decidiu lançar uma linha de açaí. No ano seguinte, a aposta foi em uma linha de granola. Para este ano, além dos que já foram lançados, está em estudo a inserção no mercado de produtos que atendam ao público que gosta de itens naturais. A proposta é o lançamento de uma linha de detox e outra de polpas mistas.

“É uma forma de agregar valor à empresa e atender a mudança de mercado. A tendência de consumo é por produtos práticos e com mais saúde. Essa é a demanda”, afirma o diretor da empresa, João Silva Filho. A aposta nos novos produtos foi alta. De acordo com João Silva Filho, para o lançamento dos novos produtos, a empresa teve que passar por todo um processo de adequação. “Precisamos mudar todo o layout da fábrica. Formar uma nova indústria. A capacidade de produção de polpa de fruta, nosso principal produto, dobrou. Isso porque agora temos que fazer polpa para outros produtos. Também automatizamos muito o nosso parque fabril já que esses são produtos de maior tecnologia”, afirmou.

Atualmente, o principal mercado da empresa está em Pernambuco. Mas há também negócios na Paraíba, Alagoas e Rio Grande do Norte. “Temos planos de expansão para o Sudeste, mas não nesse momento. No mercado nacional precisamos nos firmar no Nordeste, onde já temos uma marca forte”, ressalta o diretor. A matéria-prima da indústria é adquirida em estados como Espírito Santo, Minas Gerais, Bahia e Rio Grande do Norte.

Outro projeto que está sendo tocado pela Fruta Pluss é a preparação dos produtos para exportação. “Estamos tentando nos dedicar a isso como mais uma alternativa de driblar a crise que o Brasil passa. Inicialmente estamos fazendo um estudo de mercado, mandando um produto para testes e adaptando os nossos produtos às exigências internacionais”, conta João Silva Filho. A princípio, a intenção é a venda para países europeus.

Entre os produtos com maior aposta para este mercado estão a polpa de frutas e a água de coco. “Na verdade, o que precisamos é fechar o primeiro negócio. Estamos fazendo alguns contatos iniciais”, diz.

Persistência e resultados ano a ano

A Fruta Pluss surgiu de maneira informal há 28 anos. “Começamos de forma artesanal na área de serviços de minha casa. Fazíamos a polpa de frutas e vendíamos na vizinhança. Aí o mercado de polpa de fruta foi crescendo e a empresa ganhou forma”, relata João Silva Filho. Segundo ele, o principal motivo da formalização do negócio foi justamente o crescimento do Complexo Industrial de Suape.

“Suape cresceu e nós crescemos junto. Fornecíamos muito para obras como a Refinaria Abreu e Lima, a empresas da Odebrecht e tantas empresas que se instalaram na região. Fornecíamos todas as polpas de fruta daquela região e daí nos tornamos indústria”.

Conforme o diretor, na época em que as obras no complexo de Suape estavam em alta, a empresa chegou a registrar um crescimento de 60%. “Fornecíamos todo o insumo para fazerem suco. Mas, com o fim das obras e o agravamento da crise, fomos perdendo negócio e tivemos que nos reinventar”.

Hoje, a empresa possui 195 funcionários e nove linhas (Coco Pluss, Creme de Guaraná, Malhador Plus, Frutas Congeladas, Granola, Polpas de frutas, Suco em Copos, Açaí Pluss e Guaraná Pluss + Açaí).

A estrutura da empresa conta com um laboratório com tecnologia de ponta, que permite o acompanhamento da qualidade dos produtos. Além disso, a indústria dispõe de uma estrutura de armazenamento capaz de estocar frutas para garantir o fornecimento nas entressafras.

Por ser uma indústria considerada de um setor estratégica para o estado, a empresa tem incentivos fiscais aprovados no Programa de Desenvolvimento do estado de Pernambuco (Prodepe), que oferece incentivos fiscais de até 95% de desconto de crédito presumido do ICMS.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.