Diario nos Bairros Um olhar especial para a Rua da Hora Via, que corta parte do bairro do Espinheiro, será parte de um projeto-piloto que pretende transformar o espaço em prioritário para pedestres e ciclistas

Por: Sávio Gabriel - Diario de Pernambuco

Publicado em: 20/07/2018 08:47 Atualizado em: 20/07/2018 09:19

Rua da Hora deverá ser transformada em via para pedestres e ciclistas. Foto: Ricardo Fernandes/DP
Rua da Hora deverá ser transformada em via para pedestres e ciclistas. Foto: Ricardo Fernandes/DP
O tradicional polo de comércio e serviços da Rua da Hora, que concentra restaurantes, boutiques, escritórios, entre outros, responde por mais da metade dos lotes existentes no local. Os empreendimentos localizados ao longo dos 970 metros de extensão da via, assim como os moradores da região, devem ser beneficiados por um projeto, denominado Ruas Completas, que está sendo discutido pelo Instituto Pelópidas Silveira em parceria com a organização nãogovernamental WRI Brasil. Na prática, a iniciativa vai redistribuir os espaços ali existentes, priorizando os pedestres e ciclistas em detrimento dos automóveis.

Além do impacto urbanístico e na mobilidade da cidade, o projeto trará consequências diretas para os estabelecimentos. “Há uma relação direta com o fortalecimento do comércio de rua em contrapartida à polarização dos shoppings, tendência que já se consolidou nas grandes cidades”, explica Sideney Schreiner, diretor-executivo de planejamento urbano da Prefeitura do Recife. De acordo com ele, à medida em que se estimula a circulação de pessoas, os estabelecimentos sentirão naturalmente um aumento na movimentação de público.

Atualmente, segundo Sideney, cerca de mil pedestres circulam, por hora, nos horários de pico. Apesar de ainda não haver estimativas oficiais, a expectativa é de que a implantação do projeto aumente em 50% o fluxo de pessoas na localidade. “É uma área que tem uma densidade populacional grande por conta dos prédios”, explica. A Rua da Hora será a primeira do Recife a receber o projeto-piloto. “Escolhemos a região pela característica comercial da rua. Trata-se de uma via predominantemente comercial. Se observarmos o uso dos lotes, mais da metade são de uso comercial. É uma rua relativamente pequena para implantarmos o projeto. Dessa forma, conseguimos medir a eficiência e a eficácia”. Não há prazo para que o projeto comece a ser implantado.

O projeto ainda está em fase de discussão e já houve duas reuniões com moradores e comerciantes da área. O diretor executivo da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes em Pernambuco (Abrasel-PE), Eduardo Salazar, diz que a iniciativa é positiva para o segmento. “Com isso, você torna o ambiente mais acessível e organizado. A questão estética também conta muito”, explica, acrescentando que a gastronomia é vista como uma experiência de consumo e entretenimento.

A iniciativa deve dar um novo fôlego ao segmento de bares na rua, já que a crise econômica e problemas de gestão provocaram o fechamento de alguns estabelecimentos. “A Rua da Hora sempre foi considerada um polo gastronômico, e temos muitos restaurantes que estão ali há anos. Mas existe uma tendência, que é normal, de alguns estabelecimentos fecharem quando esse tipo de negócio não é a atividade principal do gestor. Por isso, eles abrem e não passam muito tempo no mercado. Mas os que têm know how e experiência continuam funcionando”, diz Salazar.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.