GRÃOS Associações cerealistas negam negociação sobre frete com governo e caminhoneiros Abiove, Acebra e Anec representam quase a totalidade da comercialização de soja, farelo de soja e milho no país

Por: Agência Estado

Publicado em: 13/06/2018 14:37 Atualizado em:

Foto: Jonas Oliveira / Fotos Públicas
Foto: Jonas Oliveira / Fotos Públicas
A Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), a Associação das Empresas Cerealistas do Brasil (Acebra) e a Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec) disseram, por meio de nota conjunta, que não há negociações ocorrendo entre as entidades e órgãos do governo federal ou entidades representativas dos caminhoneiros sobre a fixação de preços mínimos de fretes de cargas a granel pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). As associações reforçaram que representam quase a totalidade da comercialização de soja, farelo de soja e milho, excluindo as cooperativas de produção. 

"Há grande preocupação entre as empresas representadas com a volta à normalidade do escoamento de grãos e, por esta razão, as entidades têm procurado dialogar com o Ministério dos Transportes e com a ANTT. No entanto, as conversações se restringem exclusivamente a questionar, no âmbito administrativo as medidas governamentais e não tratam de negociações sobre os preços mínimos", informa a nota. 

As três entidades assinalaram ainda que "a solução para os problemas de remuneração dos motoristas autônomos não será resolvida impondo, sobre os embarcadores, um tabelamento de preços". "Reforçamos que qualquer eventual busca de acordo entre embarcadores, transportadores e autônomos precisa ser capitaneada pelo governo federal e com envolvimento de todos os setores do agronegócio brasileiro."



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.