GREVE DOS CAMINHONEIROS Usinas deixaram de moer 13 milhões de toneladas de cana com greve, diz Unica Em média, quatro dias e meio de moagem foram perdidos no período de paralisação. Em algumas cidades, usinas pararam por mais de 10 dias

Por: Agência Estado

Publicado em: 12/06/2018 14:01 Atualizado em:

Foto: Teresa Maia / Arquivo DP
Foto: Teresa Maia / Arquivo DP
As usinas e destilarias do Centro-Sul do Brasil processaram 32 38 milhões toneladas de cana-de-açúcar na segunda quinzena de maio da safra 2018/2019. O volume é apenas 2,18% maior que o total de 31,69 milhões de toneladas moídas em igual período da safra passada. O levantamento, divulgado nesta terça-feira (12) pela União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica) mostra o impacto da greve dos caminhoneiros, ocorrida durante o período. 

De acordo com a Unica, 4 dias e meio de moagem foram perdidos em média com a paralisação - no Paraná a suspensão foi de dez dias - e cerca de 13 milhões de toneladas deixaram de ser processadas na região. "Considerando os preços vigentes na comercialização do açúcar e para o etanol, a redução da receita do setor sucroenergético por causa da greve totalizou cerca de R$ 1,2 bilhão", informou a entidade.

Como comparação para avaliar o impacto da greve dos caminhoneiros no setor, o processamento na primeira quinzena do mês passado havia sido de 42,64 milhões toneladas de cana, ou seja, houve um recuo de 25,7% na segunda metade de maio considerando uma moagem semelhante. Com o resultado, o processamento acumulado na safra chegou a 134,84 milhões de toneladas, alta de 20,17% sobre igual período da safra 2017/2018 quando foram processadas 112,21 milhões de toneladas de cana.

Açúcar e etanol

Com 67,46% da oferta total de cana destinada ao etanol e 32,54% ao açúcar, a oferta do adoçante atingiu 1,34 milhão de toneladas quinzena final de maio, baixa de 23,84% sobre igual período de 2017. A oferta acumulada de açúcar desde 1º de abril é de 5,49 milhões de toneladas na safra, recuo de 3,93% ante 2017/2018. 

Já a fabricação do biocombustível somou 1,742 bilhão de litros na segunda quinzena de maio, alta de 44,53% ante igual período da safra passada de 1,206 bilhão de litros. Foram produzidos 1,2 bilhão de litros de hidratado, alta de 83,52% ante a quinzena final de maio de 2017, e 546 milhões de litros de anidro, recuo de 1,35% na mesma base de comparação. 

No acumulado da safra 2018/2019, 6,56 bilhões de litros de etanol foram produzidos, alta de 51,88% sobre igual período do ano passado. Do volume total de etanol fabricado até 1º de junho 4,768 bilhões de litros foram de hidratado, alta de 81,79%, e 1 787 bilhão de litros de anidro, aumento de 5,54% ante o mesmo período da safra passada.

Com o tempo seco, o teor de sacarose na cana, medido na quantidade de Açúcar Total Recuperável por tonelada processada (ATR/t), foi de 133,44 quilos (kg) na quinzena final de maio 8 70% superior ao de igual período da safra passada. No acumulado da safra, o teor de sacarose está em 123,71 kg de ATR/t, alta de 4,53% sobre 2017/2018.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.