dinheiro Risco político leva dólar a R$ 3,91 e BC oferece mais US$ 20 bi ao mercado No pior momento do dia, o dólar chegou a R$ 3,96 e a bolsa recuou 6,5%

Por: Agência Estado

Publicado em: 08/06/2018 09:16 Atualizado em:

Foto: Arquivo / Agência Brasil
Foto: Arquivo / Agência Brasil
O mercado financeiro registrou na quinta-feira (7) um dos dias de maior estresse dos últimos tempos. No pior momento, o dólar chegou a R$ 3,96 (acabou fechando em R$ 3,91, alta de mais de 2%) e a bolsa recuou 6,5% (para fechar em queda de 2,93%, aos 73.85 pontos). Pressionado, o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, convocou uma entrevista para informar que vai oferecer mais US$ 20 bilhões ao mercado até o final da semana que vem e que, se necessário, pode até recorrer às reservas cambiais. E descartou elevar juros para conter o câmbio.

Os números ruins de quarta-feira são o reflexo de um cenário econômico conturbado, tanto no Brasil quanto no exterior, que já vem praticamente desde o início do ano. Mas, para os analistas, um dado vem ganhando relevância nessa conta: o risco político. O mercado parece ter se dado conta de que há uma probabilidade cada vez maior de nenhum candidato de centro - mais identificado com as reformas estruturais, como a da Previdência - estar no segundo turno das eleições presidenciais. A greve dos caminhoneiros, que parou o País, acrescentou um ingrediente extra. O pedido de subsídios ao preço dos combustíveis, que acabou sendo concedido pelo governo, teve grande apoio popular. E demonstrou o forte apelo que o discurso populista ainda deve ter nas eleições. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.