Diario nos Municípios Uma delicatessen diferente Inaugurada há menos de um mês, o empreendimento é mais do que uma padaria, traz além do básico pãozinho

Publicado em: 08/06/2018 07:54 Atualizado em:

Outro exemplo de negócio que Olinda “estava precisando” é a Nusa Deli, uma delicatessen inaugurada há menos de um mês na Avenida Carlos de Lima Cavalcanti, no bairro de Casa Caiada. Um lugar que, segundo os proprietários Rodrigo e Ranúsia Toscano, “oferece o diferente”. “Por sermos de Olinda, a gente entendia que existia a falta de uma casa com o valor agregado de serviços e produtos, além do básico pãozinho do dia a dia. Então, a gente inaugurou um espaço que, em cerca de 1,5 mil metros quadrados, reúne pizzaria, cafeteria, pastelaria, confeitaria, além da panificação e uma boa adega. É uma delicatessen que faz a diferença”, reforça Rodrigo. O investimento no negócio não é divulgado, mas o empresário garante que “não foi baixo”.

Segundo Rodrigo, há um sentimento de que moradores de Olinda saem para trabalhar e resolver tudo fora, inclusive compravam para voltar à cidade no fim do dia. Até isso foi pensado por ele, tanto que o horário de funcionamento da Nusa Deli é estendido. “Até as 22h, com a garantia de pãozinho à disposição até o fechamento”, ressalta.

Detalhe: “Não é coisa de rico. Tenho preços competitivos e até abaixo dos trabalhados em concorrência. Do pão francês básico aos produtos mais refinados, como um pão australiano. Do queijo coalho ao prima donna. A gente atende a todos sem abuso nos preços”, garante.

O retorno da clientela tem sido bastante positivo, de acordo com os donos. “Quem nos visita se impressiona e nos dá um gás, dizendo que o espaço é legal. Tem horário que alguns espaços já ficam lotados e já nos pedem para ampliar. Mas eu digo que ainda é cedo. Vamos ver como vai ser”, avalia. “Além disso, eu não quero que a Nusa perca as características ou vamos ficar igual a um restaurante, com salão de mesas grande e só. Nossa ideia é outra, inovar com um espaço com muitas opções, agregando em todos eles e sendo um agente da economia de Olinda”, explicou.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.