Rendimentos Após dólar fechar em R$ 3,60, BC anuncia ajustes na venda da moeda A medida reafirma a intenção do banco de atuar na renovação dos contratos de venda de dólares no mercado futuro para segurar a alta do dólar

Por: Agência Brasil

Publicado em: 11/05/2018 19:37 Atualizado em: 11/05/2018 19:49

Nesta sexta-feira, a moeda norte-americana fechou em R$ 3,6011, o maior valor em quase dois anos. Foto: Arquivo/Agência Brasil
Nesta sexta-feira, a moeda norte-americana fechou em R$ 3,6011, o maior valor em quase dois anos. Foto: Arquivo/Agência Brasil
O Banco Central (BC) informou nesta sexta-feira (11) que fará ajustes, a partir de segunda-feira (14), no leilão para rolagem integral dos contratos com vencimento em 1º de junho. A medida reafirma a intenção do banco de atuar na renovação dos contratos de venda de dólares no mercado futuro para segurar a alta do dólar.

No início do mês, o BC já havia informado que atuará no câmbio pelo quarto mês consecutivo, com a oferta de contratos de swap cambial, que equivalem à venda futura de dólares. O anúncio foi feito logo após o dólar aproximar-se de R$ 3,55. Nesta sexta-feira, a moeda norte-americana fechou em R$ 3,6011, o maior valor em quase dois anos.

Em junho, vencem 113 mil contratos que totalizam US$ 5,65 bilhões em swaps cambiais tradicionais, parte do estoque total de US$ 23,8 bilhões, informou o BC.

O leilão, que será realizado no fim da manhã, ofertará 4.225 contratos, a serem distribuídos, a critério do Banco Central, entre os vencimentos de 1º/8/2018, 1º/11/2018 e 02/01/2019. A data de início dos contratos permanece em 1º/6/2018, informou a instituição.

O Banco Central informou que fará também oferta adicional de contratos de swap cambial a partir da próxima segunda-feira. Serão ofertados 5 mil contratos com vencimento em 2 de agosto deste ano.

Por meio das operações de swap cambial, o Banco Central vende contratos em reais no mercado futuro para conter a volatilidade do câmbio e reduzir a demanda por dólares. O BC aposta que a divisa subirá mais que os juros futuros. Os investidores apostam que os juros aumentarão mais que a moeda norte-americana. No fim do contrato, as duas partes trocam os rendimentos.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.