• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
exportações Média exportada na segunda semana de abril subiu 14,9% Essa alta, segundo dados divulgados nesta segunda-feira, 16, pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), ocorreu em razão do aumento das exportações de produtos básicos

Por: Agência Estado

Publicado em: 16/04/2018 16:02 Atualizado em:

A média das exportações brasileiras na segunda semana de abril foi de US$ 1,048 bilhão, o que representa um aumento de 14,9% na comparação com a média registrada na primeira semana do mês, de US$ 912,5 milhões. Essa alta, segundo dados divulgados nesta segunda-feira, 16, pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), ocorreu em razão do aumento das exportações de produtos básicos (+44,7%), com destaque para as vendas de magnésia calcinada, petróleo em bruto, minério de ferro, fumo em folhas e farelo de soja. 

As vendas de semimanufaturados tiveram queda de 25,5% pela média diária, por conta de óleo de soja em bruto, ferro fundido bruto e ferro spiegel, açúcar em bruto, ouro em formas semimanufaturadas e celulose. Houve queda também nas exportações de manufaturados, de 6,1%, em razão das menores vendas de gasolina, etanol, motores e turbinas de aviação, motores, geradores e transformadores elétricos e óxidos e hidróxidos e de alumínio. 

As importações registraram média diária de US$ 683 milhões na segunda semana de abril, um aumento de 11,5% na comparação com a primeira semana do mês (US$ 612,7 milhões). Esse incremento foi resultado principalmente do aumento dos gastos com cereais e produtos da indústria de moagem, adubos e fertilizantes, combustíveis e lubrificantes, químicos orgânicos e inorgânicos e equipamentos mecânicos. 

Resultado do mês 

No acumulado de abril, as exportações somam US$ 9,806 bilhões, com média diária de US$ 980,6 milhões, o que representa uma ligeira queda de 0,16% na comparação à média registrada em abril do ano passado (US$ 982,2 milhões). Nesse período de comparação, caíram as vendas de manufaturados (-4,2%), por conta de tubos flexíveis de ferro/aço, hidrocarbonetos e derivados, açúcar refinado, automóveis de passageiros e óxidos e hidróxidos de alumínio. 

Já a venda de produtos básicos teve alta de 2,7% no mesmo período de comparação, com destaque para exportações de bovinos vivos, petróleo em bruto, fumo em folhas, minério de cobre e carne bovina. Também cresceram as vendas de semimanufaturados em 2%, por conta de alumínio em bruto, ferro fundido bruto e ferro spiegel, semimanufaturados de ferro/aço, ferro-ligas e celulose.

Na comparação com março deste ano, houve crescimento de 2,5% da média exportada no acumulado de abril, em razão do aumento das vendas de produtos básicos ( 8,9%). Por outro lado, caíram as vendas de manufaturados (-4,0%) e de semimanufaturados (-0,9%). 

As importações, no acumulado de abril, somam US$ 6,478 bilhões, com média diária de US$ 647,8 milhões, o que significa um aumento de 8,8% em relação à média diária de abril de 2017 (US$ 595,4 milhões). Nesse comparativo, cresceram os gastos com bebidas e álcool ( 105,6%), equipamentos mecânicos ( 42,0%), veículos automóveis e partes ( 41,3%), siderúrgicos ( 34,6%) e químicos orgânicos e inorgânicos ( 9,5%). Em relação a março deste ano, houve queda nas importações de 1,5%, pela diminuição em aeronaves e peças (-33,0%), combustíveis e lubrificantes (-29 5%), farmacêuticos (-7,2%), instrumento de ótica e precisão (-5 6%) e químicos orgânicos e inorgânicos (-3,7%).



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.