• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Preocupação Temer vai ligar para Trump para discutir tarifas de aço e alumínio Existe uma "grande preocupação" no Brasil com este anúncio, por isso o governo quer resolvê-lo o quanto antes

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 14/03/2018 14:37 Atualizado em:

Os presidentes dos Estados Unidos da América, Donald Trump, e do Brasil, Michel Temer, durante jantar de trabalho oferecido pelo presidente americano em setembro de 2017. Foto: Beto Barata/PR
Os presidentes dos Estados Unidos da América, Donald Trump, e do Brasil, Michel Temer, durante jantar de trabalho oferecido pelo presidente americano em setembro de 2017. Foto: Beto Barata/PR
O presidente Michel Temer anunciou nesta quarta-feira (14) que vai ligar para Donald Trump para discutir a elevada tarifação das importações de aço e alumínio nos Estados Unidos, uma medida que poderia prejudicar muito a indústria nacional.

"Eu, muito proximamente telefonarei ao presidente Trump, porque eu verifico até as sugestões de que ele apreciaria receber telefonemas dos países que foram objeto deste aumento bastante grande do tributo", disse Temer na inauguração do Fórum Econômico Mundial da América Latina, em São Paulo, antecipando que o Brasil está se articulando com outros países para recorrer à Organização Mundial de Comércio (OMC).

"Se não houver uma solução amigável muito rápida, vamos formular uma representação à OMC", afirmou. 

Existe uma "grande preocupação" no Brasil com este anúncio, por isso o governo quer resolvê-lo o quanto antes. 

Trump anunciou na semana passada a adoção de tarifas de 25% sobre a importação de aço e 10% sobre a de alumínio. As únicas exceções são México e Canadá, com quem os EUA renegociam o Acordo de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta). 

Essa notícia é especialmente preocupante para o Brasil, porque os Estados Unidos são o principal destino de suas importações de aço - com 32,9% das vendas de 2017, de acordo com dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços. 

Além disso, Canadá e México são respectivamente o primeiro e o quarto maior exportadores aos Estados Unidos. 

"Nós aqui somos contra todo e qualquer protecionismo, somos pela abertura plena dos nossos mercados e queremos também a abertura plena dos mercados em relação ao Brasil", afirmou Temer. 


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.