• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Tratado Mercosul inicia negociação de livre-comércio com o Canadá Os ministros afirmaram que consideraram significativo para aprofundar as relações entre as duas partes

Por: AFP - Agence France-Presse

Publicado em: 09/03/2018 21:20 Atualizado em:

Os chanceleres de Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai abriram formalmente as negociações para um tratado de livre-comércio entre Mercosul e Canadá, na presença do ministro canadense de Comércio, François Philippe Champagne, nesta sexta-feira (9) em Assunção.

"O que fazemos neste ato é lançar oficialmente as negociações e dar instruções para que em duas semanas tenha início, na cidade canadense de Ottawa, o processo de negociação", anunciou o ministro paraguaio de Relações Exteriores, Eladio Loizaga.

Ainda participaram do ato os chanceleres do Brasil, Aloysio Nunes, da Argentina, Jorge Faurie, e do Uruguai, Rodolfo Nin Novoa.

O brasileiro foi acompanhado do ministro de Comércio Exterior, Marcos Jorge.

Em uma declaração conjunta, os ministros afirmaram que decidiram começar as negociações para um "acordo de comércio integral Canadá-Mercosul", que consideraram significativo para aprofundar as relações entre as duas partes.

O argentino Faurie disse que as duas partes esperam assinar o tratado até o fim do ano.

"Acho que isso vai ser mais rápido que as negociações com a União Europeia (que se desenrolam há quase 20 anos). Temos um exercício bastante fluido que adquirimos nestas negociações com a Europa. Já sabemos o que vamos discutir e trocar", explicou.

Semana histórica

"Esta foi uma semana realmente emocionante e histórica para o Canadá pela assinatura de praticamente dois tratados", disse à AFP Champagne.

Ele se referia ao novo acordo Transpacífico (CPTTP) entre 11 países da América e Ásia-Pacífico assinado em Santiago nesta quinta e ao início oficial dessas negociações.

"Somos favoráveis a um comércio aberto, transparente, inclusivo, um acordo das pessoas para as pessoas, onde não haja separações de produtores, exportadores, ou donos de empresas", disse o ministro canadense à AFP.

"Estamos construindo um novo tido de sociedade", afirmou.

"A dinâmica do comércio mundial mudou, e os acordos de livre-comércio têm que refletir essas mudanças. É por isso que estamos retomando os contatos que já tínhamos com países amigos", concluiu Champagne.

As negociações com o Canadá abarcam questões como acesso a mercados de bens e serviços, temas de trabalho, meio-ambiente, comércio, gênero, micro, pequenas e médias empresas, entre outros.

Os ministros instruíram especialistas de seus países a realizar a primeira rodada na capital canadense, de 20 a 23 de março.

Acordo com UE

Os ministros do Mercosul se reuniram paralelamente para analisar o estado das negociações com a União Europeia. Eles assistiram a uma videoconferência com os representantes da UE, disse o Loizaga à imprensa.

A partir dos diálogos, marcou-se um novo encontro de especialistas a partir da próxima terça-feira, em Assunção. "Há uma vontade política de avançar o mais rápido possível com a União Europeia", afirmou o ministro paraguaio.

Ele disse que o bloco europeu precisa responder sobre o tema agrícola, e o Mercosul sobre a questão automobilística, as indicações geográficas e o transporte marítimo.

Acerca da duração das negociações, Faurie afirmou que "os detalhes finais são os mais incômodos, os mais difíceis". Mas ele disse que "ambos os blocos têm a vontade de levar adiante este acordo".

"Se não fecharmos (o acordo) este ano, não fechamos nunca mais", ironizou, em alusão aos quase 20 anos de discussões.

As tratativas entre Canadá e Mercosul - que tem 260 milhões de habitantes - acontecem na semana da assinatura, no Chile, do acordo comercial conhecido como CPTPP, que agrupa 11 países da região Ásia-Pacífico.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.