• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Relógio Horário de Verão chegará ao fim neste domingo Mudança ocorrerá em 10 estados e o Distrito Federal. Em estados como o Amazonas, Roraima e Rondônia horário será apenas 1 hora atrasado, no Acre serão duas horas

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 14/02/2018 12:18 Atualizado em: 14/02/2018 12:28

Em Pernambuco o horário passará a ser igual ao da capital federal. Foto: Internet/Reprodução (Foto: Internet/Reprodução)
Em Pernambuco o horário passará a ser igual ao da capital federal. Foto: Internet/Reprodução


Em vigor desde outubro de 2017, o horário de verão chegará ao fim neste domingo (18). À exata meia-noite do sábado para o domingo, todos os moradores do Sul, Sudeste e Centro-Oeste deverão "atrasar" 1 hora de seus relógios. 

Dez estados e o Distrito Federal terão este trabalho, sendo eles o Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, além da capital federal. Com isso, o horário no Leste do Amazonas e nos estados de Roraima e Rondônia ficará apenas uma horas atrasado em relação ao de Brasília, enquanto Oeste do Amazonas e Acre ficam duas horas na mesma condição.

O horário de verão foi instituído com o objetivo de permitir economia de energia no país em função do maior aproveitamento do período de luz solar. A medida foi utilizada pela primeira vez em 1931 e depois em outros anos, sem regularidade. Em 2008, ganhou caráter permanente e passou a vigorar do terceiro domingo de outubro até o terceiro domingo de fevereiro do ano seguinte. 

Ainda em 2017, o governo federal chegou a avaliar o fim do horário de verão, após a divulgação de um estudo realizado pelo Ministério de Minas e Energia sobre a perda da efetividade dessa economia. A análise mostrou que a intensidade de consumo de energia elétrica estava mais ligada à temperatura do que ao horário, com picos nas horas mais quentes do dia. Porém, o período de estiagem que o país enfrenta, quando hidrelétricas estão com níveis de água reduzidos, vem obrigando o governo a ligar as termelétricas (de operação mais cara) e até mesmo a importar energia de outros países. Por isso o Planalto optou pela manutenção do horário de verão, que deverá ser reavaliado neste ano de 2018. 

(Com informações do Estado de Minas)


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.