• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Mercado Previsão do IPCA para 2018 cai de 3,94% para 3,84%, mostra Focus do BC As projeções divulgadas no Focus indicam que a expectativa é de que a inflação em 2018 fique dentro da meta

Por: AE

Publicado em: 14/02/2018 11:53 Atualizado em:

Foto: Reprodução/Internet
Foto: Reprodução/Internet
Sob influência do resultado mais recente do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) - o indicador oficial de preços -, os economistas do mercado financeiro alteraram suas projeções para a inflação de 2018. O Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta quarta-feira(14) pelo Banco Central (BC), mostra que a mediana para o IPCA este ano caiu de 3,94% para 3 84%. Há um mês, estava em 3,95%. Já a projeção para o índice de 2019 permaneceu em 4,25%, mesmo porcentual de quatro semanas atrás.

Na prática, as projeções de mercado divulgadas no Focus indicam que a expectativa é de que a inflação em 2018 fique dentro da meta, de 4,5%, com margem de tolerância de 1,5 ponto porcentual (índice de 3,0% a 6,0%). Para 2019, a meta é de 4,25%, com margem de 1,5 ponto (de 2,75% a 5,75%). 

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou, na última semana, que o IPCA de janeiro subiu 0,29%. O resultado ficou abaixo do que esperava o mercado financeiro. Em 12 meses, a taxa acumulada é de 2,86%.

Na semana passada, antes da divulgação do IBGE, o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC atualizou suas projeções para o IPCA: +4,2% para 2018 e 4,2% para 2019. 

Entre as instituições que mais se aproximam do resultado efetivo do IPCA no médio prazo, denominadas Top 5, a mediana das projeções para 2018 no Focus subiu de 3,78% para 3,86%. Para 2019, a estimativa do Top 5 foi de 4,00% para 4,25%. Quatro semanas atrás, as expectativas eram de 3,80% e 4,00%, respectivamente. 

Já a inflação suavizada para os próximos 12 meses passou de 4 04% para 4,03% de uma semana para outra - há um mês, estava em 3 98%.

Entre os índices mensais mais próximos, a estimativa para fevereiro de 2018 foi de 0,44% para 0,42%. Um mês antes, estava em 0,43%. No caso de março, a projeção passou de 0,32% para 0 31%, ante 0,32% de quatro semanas antes.

No Relatório Trimestral de Inflação (RTI), publicado em dezembro o BC havia atualizado sua projeção de inflação para fevereiro, para 0,47%. 

Preços administrados

O Relatório de Mercado Focus indicou elevação na projeção para os preços administrados em 2018. A mediana das previsões do mercado financeiro para o indicador este ano foi de alta de 4,75% para avanço de 4,80%. 

Para 2019, a mediana permaneceu em 4,45%. Há um mês, o mercado projetava aumento de 4,90% para os preços administrados em 2018 e elevação de 4,25% em 2019.

As projeções atuais do BC para os preços administrados indicam elevações de 4,9% em 2018, 4,3% em 2019 e 4,2% em 2020. Estes porcentuais foram atualizados no RTI, divulgado em dezembro. 

Outros índices

O Relatório de Mercado Focus mostrou que a mediana das projeções do Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) de 2018 passou de 4,50% para 4,46%. Há um mês, estava em 4,45%. No caso de 2019, o IGP-DI projetado foi de 4,28% para 4,27%, ante 4 28% de quatro semanas antes.

Calculados pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), os Índices Gerais de Preços (IGPs) são bastante afetados pelo desempenho do dólar e pelos produtos de atacado, em especial os agrícolas. 

Outro indicador, o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), que é referência para o reajuste dos contratos de aluguel, foi de 4 56% para 4,51% nas projeções dos analistas para 2018. Quatro levantamentos antes, estava em 4,44%. Para 2019, a projeção passou de 4,40% para 4,30%, ante os mesmos 4,30% de quatro semanas atrás. 

Já a mediana das previsões para o Índice de Preços ao Consumidor da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (IPC-Fipe) de 2018 foi de 4,14% para 4,19% no Focus. Um mês antes, a mediana das projeções do mercado para o IPC era de 4,23%. No caso de 2019, a projeção seguiu em 4,09%, ante 4,10% de um mês antes.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.