• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Decisão Jucá: maioria da bancada da Câmara e da Executiva do PMDB apoia fechar de questão Líder do governo no Senado, Jucá disse que espera que o posicionamento do PMDB possa fazer com que outros partidos sigam a mesma posição

Por: Agência Estado

Publicado em: 06/12/2017 13:22 Atualizado em:

O presidente nacional do PMDB, senador Romero Jucá (RR), disse nesta quarta-feira, 6, que já há "maioria" a favor do fechamento de questão na votação da reforma da Previdência tanto entre a bancada do partido na Câmara quanto na Executiva da sigla. A direção da legenda se reúne nesta quarta, às 16 horas, para decidir qual será a posição oficial do partido na apreciação da proposta.

"Vamos discutir o fechamento de questão na Executiva do partido hoje, às 16 horas. Entendo que é um pleito da bancada da Câmara e, portanto, devemos fechar questão para a votação da reforma da Previdência na Câmara dos Deputados", disse. "Já tem apoio da maioria da bancada e da Executiva a favor da reforma da Previdência", explicou.

Líder do governo no Senado, Jucá disse que espera que o posicionamento do PMDB possa fazer com que outros partidos sigam a mesma posição. "É importante que um partido tenha um posicionamento claro quanto a isso reforma da Previdência. O PMDB vai, na vanguarda, fechar esse posicionamento esperando até que outros partidos possam seguir a mesma posição. Eu não posso falar por outros partidos, mas ideal é que outros partidos da base pudessem seguir esse posicionamento", afirmou.

Apesar do pedido, Jucá disse que "não vai cobrar posição de ninguém". "O PMDB precisa fechar questão não só pra dar exemplo como para mostrar a importância desse tema", argumentou. "É importante que o PMDB possa puxar esse cordão dos partidos da base que têm responsabilidade com futuro. Partido não vai cobrar posição de ninguém, mas cada um deve ter a leitura do quanto é importante essa posição", reforçou.

Punições

Questionado sobre eventuais punições a parlamentares que votem de forma contrária à reforma, Jucá deu a entender que isso será analisado posteriormente, mas não descartou esse tipo de medida. "Vamos verificar depois punição a parlamentares do PMDB, não queremos discutir punição agora. Aqueles parlamentares que tiverem contra o partido...serão levados em conta em todos os momentos que o partido tiver que se pronunciar", respondeu.

Senado

Sobre as previsões de votação da Previdência no Senado, Romero Jucá disse que a ideia é que o tema possa ser apreciado na Casa em fevereiro de 2018. "O calendário depende do deputado Rodrigo Maia DEM-RJ e da pauta de votação na Câmara. Agora, votando na Câmara, e já está apertado para votar, a discussão e votação no Senado só se dará em fevereiro", disse.



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.