• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Reforma Conjunto amplo de reformas visa diminuir o risco país, diz Meirelles O ministro afirmou ainda que o governo está avançando na agenda de reformas microeconômicas, visando aumentar a taxa de produtividade

Por: Agência Estado

Publicado em: 04/12/2017 15:05 Atualizado em:


O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, enumerou uma série de aspectos positivos do cenário econômico no País e citou as reformas do governo que ajudam a melhorar o risco país. "O que temos é um conjunto amplo de reformas, que visam diminuir o risco país", disse Meirelles, durante o seminário "Reavaliação do Risco Brasil", no centro cultural da Fundação Getulio Vargas (FGV), no Rio.

Segundo ele, a política monetária tem sido eficaz. Os índices de inflação estão claramente comportados, inclusive quando medidos pelos núcleos. A taxa de juro real na economia está em patamar historicamente baixo e em condições "estimulativas", avaliou. Ao mesmo, tempo, os dados da população ocupada, com crescimento recente, confirmam a consistência da retomada da atividade econômica.

O ministro afirmou ainda que o governo está avançando na agenda de reformas microeconômicas, visando aumentar a taxa de produtividade. Além disso, completou, está de fato endereçando a questão fiscal de frente. Se mantida a trajetória da dívida pública, sem o teto dos gastos, as despesas federais chegariam a 25,4% do PIB em 2025, disse o ministro.

Meirelles comentou também a devolução de recursos do BNDES ao Tesouro Nacional, além da adoção da TLP em substituição à TJLP nos financiamentos do banco de fomento. Segundo ele, a dívida no BNDES justifica-se menos quando os recursos estão aplicados no mercado financeiro.

"O que temos como resultado concreto? Saímos da recessão mais longa da nossa história", declarou. "Estamos no início de um novo ciclo de crescimento sustentado. Esse novo ciclo é caracterizado por uma longa duração e baixa volatilidade".


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.