• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Abese Segurança eletrônica é tema de simpósio Associação que expandir participação do Nordeste nos negócios do setor

Por: Diario de Pernambuco

Por: Vitor Nascimento

Publicado em: 29/08/2017 19:54 Atualizado em: 31/08/2017 10:14

Querendo uma maior aproximação com os empresários pernambucanos do setor de segurança eletrônica, a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança (Abese) promove até esta quarta-feira um simpósio para debater as novidades e a possível expansão do setor, que em cinco anos obteve um crescimento de 8%. Só em 2016, o aumento foi de 5% em relação a 2015, com faturamento de R$ 5,7 bilhões sendo 17% no Nordeste. O setor emprega hoje no país 220 mil pessoas de forma direta.

Baseada nesses números, a associação está buscando disseminar conhecimento sobre o segmento. “Queremos aumentar a representatividade no Nordeste, buscando mais associados, oferecendo benefícios, fazendo com que as empresas tomem consciência da valorização do seu negócio, promovendo eventos como o simpósio, feiras e congressos ”, explica Selma Miglioli, presidente da Abese. Segundo ela, outro fator importante é a criação de um sindicato para representar essas empresas no estado. “Estamos buscando lideranças para desenvolver esse setor, para unir o empresariado em torno de formalizar uma representação.”

Fábio Roberto Souza, gerente comercial da Servis Segurança Eletrônica, presente ao evento, disse que, com o aumento da violência, o setor crsceu. “A expectativa da Servis é de um incremento de 30% nos negócios em relação ao ano passado, tendo em vista um maior investimento em tecnologia, colocando mais gente para trabalhar em setores como o operacional.”

O crescimento do mercado de segurança eletrônica foi puxado, principalmente, pelo aumento de 15% na indústria, elevando o setor. “Em Pernambuco não foi diferente, as indústrias importantes cresceram e ajudaram as empresas, no mínimo se não crescer, mater o seu negócio de portas abertas oferecendo produtos nacionais de qualidade com preços bastante acessíveis”, afirma Selma.

No simpósio, oito estandes apresentaram as novas tecnologias que estão surgindo para a questão de segurança, como a Camerite, plataforma de monitoramento 100% em nuvem, que está sendo utilizada pela Prefeitura de São Paulo. “O nosso sistema funciona com um computador conectado a internet, gravando diretamente em nuvem. Estamos também implementando recursos analiticos como detecção de movimento, reconhecimento de objetos e leitura de placas, melhorando ainda mais o serviço”, pontua o coordenador de suporte, José Laps Júnior.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.