• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Relatório Produção da Opep cresce 0,5% em julho, a 32,87 milhões de barris por dia O acréscimo, menor que o do mês anterior, foi impulsionado pelo aumento da produção da Arábia Saudita, Nigéria e Líbia

Por: AE

Publicado em: 10/08/2017 09:09 Atualizado em:

A constante expansão da produção dos EUA e o fracasso de alguns membros da Opep de cumprir suas cotas têm mantido as cotações do petróleo. Foto:  Stéferson Faria/Ag. Petrobras
A constante expansão da produção dos EUA e o fracasso de alguns membros da Opep de cumprir suas cotas têm mantido as cotações do petróleo. Foto: Stéferson Faria/Ag. Petrobras


A produção de petróleo bruto da Opep avançou mais em julho, numa nova sinalização de que os esforços do cartel para reduzir o excesso de oferta global estão ficando aquém do esperado.

Em relatório mensal divulgado hoje, a Opep informou que sua produção subiu 0,5% no mês passado, a 32,87 milhões de barris por dia (bpd), representando alta de 172,6 mil barris ante junho. O acréscimo, menor que o do mês anterior, foi impulsionado pelo aumento da produção da Arábia Saudita, Nigéria e Líbia.

O documento é divulgado num momento em que a Arábia Saudita - líder informal da Opep e maior exportador de petróleo do mundo - pressiona outros integrantes do cartel a cumprir o acordo em vigor para a redução da produção.

Em pacto fechado no fim do ano passado e renovado em maio, a Opep e outros dez produtores se comprometeram a reduzir sua oferta combinada em torno de 1,8 milhão de bpd até o fim do primeiro trimestre de 2018. O acordo, no entanto, ainda não surtiu efeito significativo nos preços do petróleo.

A constante expansão da produção dos EUA e o fracasso de alguns membros da Opep de cumprir suas cotas têm mantido as cotações do petróleo em cerca de US$ 45 a US$ 55 por barril durante a maior parte do ano.

Mais recentemente, porém, os preços do petróleo avançaram com mais solidez, graças em parte a uma redução nos estoques dos EUA. Ontem, o Departamento de Energia (DoE, na sigla em inglês) norte-americano estimou que o volume de petróleo bruto estocado nos EUA caiu quase 6,5 milhões de barris, a 1,15 bilhão de barris, na última semana.

A Opep também elevou sua previsão de crescimento da demanda global este ano, em 100 mil bpd, a 1,37 milhão de bpd. Para 2018 a projeção é de aumento de 1,28 milhão de bpd. Já para a oferta fora do cartel em 2017, a Opep reduziu sua previsão de avanço a 780 mil bpd. 



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.