• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Road Show Evento debate as prioridades e desafios do setor industrial nordestino Representantes das federações de indústrias de toda a região estiveram no Recife para traçar as estratégias e apresentar os pleitos do segmentoR

Por: Sávio Gabriel - Diario de Pernambuco

Publicado em: 14/07/2017 20:32 Atualizado em:

O evento na capital pernambucana foi o primeiro de nove reuniões que vão acontecer nos demais estados da região. Ao fim dos encontros, um documento será elaborado para ser encaminhado ao governo federal. Foto: Fiepe/Divulgação
O evento na capital pernambucana foi o primeiro de nove reuniões que vão acontecer nos demais estados da região. Ao fim dos encontros, um documento será elaborado para ser encaminhado ao governo federal. Foto: Fiepe/Divulgação

A desburocratização do acesso a financiamentos, a melhoria na infraestrutura e a resolução dos gargalos na área de energia foram alguns temas debatidos na primeira edição do Road Show, que reuniu representantes da indústria nordestina. O encontro, realizado na Federação das Indústrias de Pernambuco (Fiepe), foi o primeiro de nove eventos que acontecerão nas demais capitais do Nordeste. O principal objetivo é debater projetos e os desafios para que haja um incremento no desenvolvimento industrial da região.

Nesse cenário, o fortalecimento do papel da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) para que recuperar o protagonismo de outrora é um dos pontos defendidos. “Nós queremos saber o que pode ser feito e apontamos o que precisa ser feito. O Nordeste está sem planejamento e nós precisamos crescer”, disse Ricardo Essinger, presidente da Fiepe. Outro ponto defendido por ele é a racionalização no acesso a financiamentos. “Temos a parte burocrática e também o tamanho dos encargos. O nosso pleito é para tornar esse processo racional, porque há uma burocracia enorme e ninguém consegue chegar ao dinheiro”, acrescentou.

Presidente da Associação Nordeste Forte, que reúne todas as de indústrias do Nordeste, Amaro Sales destacou que é preciso de mais infraestrutura, juros mais baixos e também melhores condições para exportação. “O Nordeste tem mais de 50 mil habitantes e precisa ter um tratamento diferenciado. Hoje ela é tratada muito como coitadinha, mas temos oportunidade de trazer para o Brasil, especificamente para alguns setores, um forte desenvolvimento”, disse.

Os problemas  referentes ao acesso ao crédito foram debatidos com representantes do participação do Banco do Nordeste (BNB) eBanco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Representantes da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) e Rede Nacional de Informações sobre o Investimento (Renai) também estiveram presentes.
“Nós queremos levar aos estados do Nordeste de que forma a Sudene tem atuado. Há um desconhecimento de muitas atividades que são importantíssimas para o setor industrial, que tem a maior capacidade de melhorar a economia de forma mais rápida”, destacou o superintendente do órgão, Marcelo Neves.

Segundo ele, uma das ações é o Fundo de Desenvolvimento do Nordeste (FNDE), que é operado pela Sudene, e que emprestou, na última década, mais de R$ 10 bilhões a projetos espalhados pela região. Ele reconhece que a superintendência perdeu o protagonismo do passado e garantiu que tem trabalhado em ações para reverter o cenário.

Ainda haverá outras oito edições do Road Show. Os eventos devem acontecer até duas vezes por mês e, ao fim das reuniões, um documento será elaborado e encaminhado ao governo federal. Além disso, cada federação industrial vai debater o tema com as cadeias produtivas dos respectivos estados e as administrações públicas.


Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.