• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
Licitações Aeroportos do interior de Pernambuco voando para operar rotas comerciais Serra Talhada terá estrutura temporária para operar voos da Azul a partir de outubro. Caruaru fecha detalhes para a concessão do aeroporto da cidade, que será de dez anos, pelo menos

Por: André Clemente - Diario de Pernambuco

Publicado em: 04/07/2017 13:59 Atualizado em: 04/07/2017 15:30

Caruaru opera voos fretados, mas está no interesse de companhias aéreas como Azul Linhas Aéreas e Gol Linhas Aéreas
Caruaru opera voos fretados, mas está no interesse de companhias aéreas como Azul Linhas Aéreas e Gol Linhas Aéreas

Os aeroportos do interior de Pernambuco estão avançando nas tratativas para cumprir o plano de começar a operar voos comerciais em outubro deste ano. No caso do aeroporto de Serra Talhada (Aeroporto Regional do Pajeú), será montado um terminal de passageiros temporário para que comece as atividades enquanto o definitivo é construído, o que deve durar cerca de um ano. Além disso, o governo trabalha para acelerar a contratação da empresa que fará os ajustes para que o local consiga a certificação junto à Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Já no aeroporto de Caruaru (Aeroporto Oscar de Laranjeiras), está sendo finalizado o formato da licitação para a concessão do equipamento, que terá duração de dez anos podendo ser prorrogado por mais dez.

De acordo com o gestor do sistema aeródromo da Secretaria de Transportes de Pernambuco (Setra), Fernando Maranhão, o aeroporto de Serra Talhada terá um terminal de passageiros provisório para atender os voos da Azul Linhas Aéreas já em outubro deste ano. “O aeroporto de Serra talhada já teve a pista construída, o balizamento noturno realizado e acabamos de receber a confirmação do repasse federal de R$ 20 milhões para contratar a empresa que fará a construção do terminal de passageiros definitivo. Além do valor do governo federal, o estado vai investir R$ 15 milhões na infraestrutura do local”, destacou.

Enquanto isso, a partir de outubro a operação será provisória. “A empresa foi contratada em licitação e receberá o valor de R$ 23,5 mil por mês para a montagem da estrutura, a ser desmontada quando a permanente ficar pronta. Outra empresa estava sendo contratada para administrar o terminal temporário, mas a segunda colocada questionou o resultado da concorrência o processo travou. A priori, a licitação prevê um pagamento mensal de R$ 57 mil  por parte do estado à empresa que administrar a estrutura. Depois disso, será decidida a forma mais vantajosa da operação no espaço definitivo, se continua nesse formato ou se é encaminhado para a concessão”, explicou. Ainda em relação a Serra Talhada, o gestor afirmou que será lançada amanhã a licitação que vai contratar a empresa que vai fazer o plano e os programas para obter o licenciamento junto à ANAC, o que dá a certidão para operar.

Em relação a Caruaru, está sendo preparado o texto da licitação para que ela seja atraente ao setor privado. “Não tem valor definido, mas será uma concessão de dez anos (prorrogável por mais dez anos) e a empresa pagará uma outorga mensal ao governo do estado, além de se responsabilizar pelos investimentos para colocar a estrutura em condições de operação. Será necessária uma reforma no terminal de passageiros, além de ajustes nos muros e outras melhorias. Em troca, a empresa terá todas as receitas da operação. O que está sendo estudado é isso. Uma forma de calcular um valor a ser investido pela empresa, amarrado a uma outorga de uma estrutura que ainda não gera receitas, porque a empresa vai investir e só terá receita quando tiver movimentação”, pontuou. A previsão é fechar a publicação ainda neste mês para que as próximas etapas avancem e o local também consiga funcionar em outubro deste ano.

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.