• Compartilhar no Facebook Compartilhar no Twitter Compartilhar no Google Plus Enviar por whatsapp Enviar por e-mail Mais
CARNE FRACA UE e mais três países barram carne brasileira após operação da PF Coreia do Sul, Chile e China entram na lista de países que vetaram importação de carnes oriundas do Brasil

Por: Diario de Pernambuco

Publicado em: 20/03/2017 14:01 Atualizado em: 20/03/2017 14:25

Chile, China e Coreia do Sul vetaram importação de carnes brasileiras -  Foto: Renato Araújo/ Agência Brasília
Chile, China e Coreia do Sul vetaram importação de carnes brasileiras - Foto: Renato Araújo/ Agência Brasília

A repercussão da Operação Carne Fraca, deflagrada na última sexta-feira (17), começa a atingir a exportação de carnes do mercado brasileiro.

No Chile, o Ministério da Agricultura anunciou, nesta segunda-feira (20), que está barrando temporariamente importações de carne oriundas do Brasil após a repercussão negativa do escândalo que atingiu o país.

A mesma decisão já havia sido tomada pela Coreia do Sul, que proibiu de forma temporária a venda de produtos da BRF, que engloba marcas como Sadia e Perdigão. Mais de 30 empresas estão sendo investigadas na Operação. Entre elas, a JBS, das marcas Friboi e Seara, está sendo investigada por um esquema de corrupção que permite a venda de carnes estragadas, entre outros desvios.

No caso da China, os embarques programados para lá foram suspensos por uma semana. Os dois países já informaram oficialmente ao Ministério da Agricultura a suspensão de importação de carnes brasileiras

Operação Carne Fraca

Deflagrada na última sexta-feira (17), a operação da Polícia Federal visa combater corrupção de agentes públicos federais e crimes contra Saúde Pública. O esquema seria liderado por fiscais agropecuários federais e empresários do agronegócio. Segundo a PF, a operação detectou em quase dois anos de investigação que as Superintendências Regionais do Ministério da Pesca e Agricultura do Estado do Paraná, Minas Gerais e Goiás "atuavam diretamente para proteger grupos empresariais e políticos em detrimento do interesse público".



Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.