• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Suape » Refinaria Abreu e Lima inicia testes nesta sexta-feira Processo estava previsto para começar nesta quinta, mas foi alterado para aguardar a atracação do navio com óleo cru para começar a operação de refino

Rochelli Dantas - Diario de Pernambuco

Publicação: 04/09/2014 18:00 Atualização: 04/09/2014 18:10

Refinaria, que passou por uma paralisação nos trabalhos em função de greve de funcionários, deve ser inaugurada em 4 de novembro. Foto: Allan Torres/Esp DP/D.A Press
Refinaria, que passou por uma paralisação nos trabalhos em função de greve de funcionários, deve ser inaugurada em 4 de novembro. Foto: Allan Torres/Esp DP/D.A Press
A Refinaria Abreu e Lima (Rnest), localizada no Complexo Industrial Portuário de Suape, inicia nesta sexta-feira (5) a fase de testes da operação. Às 10h, atraca no Porto de Suape o primeiro navio transportando petróleo para o empreendimento. Inicialmente, o processo estava previsto para esta quinta (4). Porém, a Petrobras informou que, apesar da embarcação estar apenas aguardando a atracação no ancoradouro, houve uma mudança na operação.

Ao todo, o cargueiro está trazendo 60 mil toneladas de óleo bruto, além de seis mil toneladas de uma mistura de petróleos,conhecida como blend. O material será descarregado no Píer de Granéis Líquidos (PGL3) e, por meio de uma tubovia, seguirá para a Rnest.

No local será dado início ao processo de refino do petróleo, que será transformado em derivados. Vale ressaltar que esta será a unidade com maior taxa de conversão de óleo cru em diesel (70%) apta a processar 230 mil barris por dia de petróleo pesado. O local também produzirá gasolina, coque, nafta, querosene e gás de cozinha. A fase de avaliações e ajustes do empreendimento da Refinaria do Nordeste, como também é conhecido o projeto, segue até novembro, quando a primeira etapa será inaugurada. O que se espera é que a operação como um todo esteja em pleno funcionamento no próximo ano.

Ajustes

Para o sucesso da operação, alguns ajustes foram realizados ao longo da semana. A Companhia Pernambucana de Gás (Copergás), por exemplo, deu início ao fornecimento de gás do projeto. O abastecimento será gradual. Inicialmente, serão ofertados 300 mil metros cúbicos por dia. Quando o empreendimento estiver funcionando a todo vapor, serão 1,9 milhão de metros cúbicos diários.

A construção do empreendimento teve início em 2005. Quando anunciado, o projeto previa uma parceria entre a Petrobras e PDVSA, estatal venezuelana. O que se esperava era que 40% dos custos fossem arcados pelo país vizinho. Porém, o acordo não foi levado adiante e a petrolífera brasileira incorporou o projeto e arcou com os custos do projeto, que passaram por diversos reajustes ao longo dos anos. Inicialmente, o montante era estimado em US$ 2,3 bilhões. No último balanço divulgado pelo governo federal, o valor subiu para US$ 17,3 bilhões.

O projeto também ficou conhecido pelo grande número de empregos gerados. No pico de obras, 40 mil trabalhadores atuavam no local. As desmobilizações dos canteiros foram iniciadas no início deste ano. Isto porque, na fase operacional, o número de empregados cai para mil. A partir daí, o que se espera é que seja dado início à fase de manutenção, que demandará novos funcionários, porém, atuantes na cadeia de fornecedores. Pelos cálculos do setor, a cada trabalhador da Refinaria Abreu e Lima devem ser gerados três empregos no setor.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.