• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Balanço » Para presidente da Anfavea, queda em vendas de veículos se deve a eventos ruins

Agência Estado

Publicação: 04/09/2014 15:25 Atualização: 04/09/2014 16:22

O presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan, avaliou nesta quinta-feira (4) que a queda de 7,6% nas vendas de veículos em agosto ante julho é consequência de uma série de eventos ruins do cenário macroeconômico e político brasileiro, não diretamente relacionados ao setor. Sem citar detalhes de que motivos foram esses, ele afirmou apenas que o resultado veio abaixo da expectativa da entidade, após um mês "extremamente conturbado".

Questionado pela imprensa, ele citou que um dos aspectos que influenciaram a queda foi a tragédia que matou o ex-governador de Pernambuco e então candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos. "Tivemos uma tragédia com comoção em todo o País, com alteração nas candidaturas", afirmou, completando logo em seguida: "Não dá para fazer uma relação direta, mas no Nordeste, por exemplo, a queda (nas vendas) foi 20% maior do que a média nacional". Segundo ele, o acidente gerou "clima diferente" no mercado como um todo.

Apesar da queda nas vendas no mês passado, Moan afirmou que a previsão é de que, no segundo semestre deste ano, o setor volte a crescer. Na avaliação do presidente da Anfavea, a situação difícil que a indústria automobilística passa atualmente, com queda nas vendas e demissões, é pontual, de ajustes de estoques do setor por meio de ajuste da produção. "Toda essa redução de quadro de pessoal ainda está acima do compromisso firmado em maio de 2012", ponderou.

Moan informou ainda que só deverá alterar a previsão de queda de 5,4% nas vendas em 2014 em outubro. De acordo com ele, só a partir do décimo mês do ano será possível revisar a projeção, após análise das medidas do Banco Central para injetar crédito na economia. Ele adiantou que as mudanças já "deram bastante reação" no setor. "Desafio é grande de atingir (essa projeção), mas já disse que não iríamos ficar alterando essa estimativa a cada resultado", comentou.

Empregos

O setor automotivo encerrou o mês de julho com 148.892 empregados, queda de 0,9% na comparação com julho e recuo de 5,5% ante agosto de 2013. O segmento de autoveículos registrou retração de 0,9% em agosto na comparação com o mês anterior no total de empregados, somando 128.736 pessoas trabalhando no mês passado. Em relação a agosto do ano passado, a queda foi de 5,5%. O segmento de máquinas agrícolas teve recuo de 1,3% no número de empregados, na comparação com julho, e baixa de 5,8% na comparação com o mesmo mês de 2013, para 20.156 funcionários trabalhando no mês passado.

Flex

Já a fatia de automóveis e veículos comerciais leves biocombustíveis (flex) ficou em 88% em agosto, patamar abaixo do verificado em julho (88,2%). Ao todo, os veículos flex somaram 228.445 unidades no mês passado. Em agosto do ano passado, a participação das vendas dos veículos flex era de 88,9%.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.