• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Crescimento » Veículos puxaram produção de bens duráveis em julho

Agência Estado

Publicação: 02/09/2014 13:17 Atualização:

Os aumentos observados na produção de bens de capital (16,7%) e de bens de consumo duráveis (20,3%) em julho ante junho foram puxados pelo setor de veículos, disse André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que divulgou nesta terça-feira, 02, a Pesquisa Industrial Mensal - Produção Física (PIM-PF). Segundo Macedo, a recuperação na produção de caminhões e automóveis, respectivamente, contribuiu para os resultados.

Apesar disso, o gerente do IBGE pondera que as elevações mais vigorosas observadas em julho foram justamente nos setores mais marcados por reduções nas jornadas de trabalho e por concessão de férias coletivas no mês anterior, em função da realização da Copa do Mundo. Além disso, não compensam os recuos acumulados entre março e junho, nem para bens de capital (-19,2%) nem para duráveis (-30,9%).

"Há melhora, mas quando eu comparo o resultado de julho deste ano com julho do ano passado, a indústria opera 3,6% abaixo", citou Macedo. Na comparação com julho do ano passado, os veículos, com queda de 22,8% na produção, também puxam para baixo os resultados de bens de capital (-6,4%) e bens de consumo duráveis (-13,7%).

"O setor de veículos ainda encontra-se com nível de estoques bem acima do desejado. O setor ainda está tentando adequar sua produção corrente aos estoques existentes. É um resultado positivo em julho em cima de uma base mais fraca em junho. Para saber o que vai acontecer daqui para frente temos que esperar, mas é claro que uma sinalização de queda nas vendas pode gerar descompasso nos estoques", comentou Macedo.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.