• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

E-commerce » Compras online atraem mais consumidores, diz E-bit

Yasmin Freitas - Diario de Pernambuco

Publicação: 26/08/2014 09:45 Atualização: 26/08/2014 10:46

Tiago de Assism usa a internet para adquirir principalmente eletrônicos, filmes e artigos esportivos (Ricardo Fernandes/DP/DA Press)
Tiago de Assism usa a internet para adquirir principalmente eletrônicos, filmes e artigos esportivos
O consumidor brasileiro tem apostado cada vez mais em compras via internet. É o que dizem dados da empresa E-bit, responsável por avaliar o crescimento do e-commerce na América Latina. Em 2013, o setor movimentou R$ 28,8 bilhões. Já no primeiro semestre deste ano, o faturamento atingiu a marca de R$ 16,06 bilhões e trouxe 5,5 milhões de novos compradores. Até o final do ano, é esperado que o número de vendas supere em 21% os valores de 2013, alcançando o valor de R$ 34,9 bilhões. Entre os principais produtos procurados estão os eletrônicos e artigos de informática, além de eletrodomésticos e itens de vestuário.

De acordo com o professor de economia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) José Carlos Cavalcanti, o boom vivido pelo comércio eletrônico pode ser explicado graças à quantidade de oferta e informação que circulam na rede. “Na internet, é possível encontrar uma grande variedade de produtos já avaliados por outros consumidores, que denunciam se a compra vale à pena e se os artigos são de qualidade, conferindo segurança aos futuros compradores”, explica.

A faixa de preço encontrada na internet, geralmente abaixo do mercado tradicional, assim como as facilidades oferecidas (como a gratuidade do frete) também aparecem como atrativo para o consumidor. “Qualquer pessoa com um celular e um cartão de crédito em mãos pode efetuar uma compra online. Significa dizer que mesmo as classes C e D estão incluídas neste mercado, que nem sempre as abraça com produtos de mesma qualidade em lojas físicas”, diz Cavalcanti.

O designer Tiago de Assis, 27, usa a internet para adquirir principalmente eletrônicos, filmes e artigos esportivos de hockey. “Considero o processo seguro. Costumo acompanhar o percurso dos produtos através do rastreamento dos Correios. Já tive, sim, problemas em fornecer meus dados em um site, mas consegui resolver o problema logo em seguida”, relata. Em relação aos preços, o designer confirma estar abaixo da média das lojas físicas. “Já vi diferenças de mais de R$ 300 de preço em um videogame”, comenta.

Segurança

Veja dicas de como ser bem sucedido e não ter problemas no e-commerce

- Procure comprar em lojas conhecidas ou indicadas por amigos e parentes;
- Conheça a política de privacidade da empresa e esteja atento às formas de pagamento, prazos de entrega e possibilidade de troca e devolução de produtos;
- Prefira empresas que aceitem plataformas de pagamento garantido via internet, como Bcash e PagSeguro. Evite pagamentos em boletos ou depósitos bancários;
- Esteja atento a ofertas milagrosas, principalmente de eletrônicos e produtos de informática podem esconder falsificação, roubo e sonegação de impostos;
- Salve ou imprima todos os passos da compra, inclusive e-mails de confirmação.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.