• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Aposta » Para especialistas, PIB só deve avança a partir do segundo semestre de 2015

Agência O Globo

Publicação: 19/08/2014 10:40 Atualização:

Com a redução pela 12ª semana consecutiva das apostas para o crescimento da economia em 2014 ? de 0,81% para 0,79%, na pesquisa Focus, especialistas já estimam que o Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos no país) só deve voltar a avançar a partir do segundo semestre de 2015. A avaliação considera o cenário mais otimista para o próximo ano, e parte dos economistas aposta que a economia só voltará a deslanchar em 2016.

As previsões da pesquisa feita pelo Banco Central (BC) para 2015 são modestas e corroboram essa avaliação. Segundo analistas, o país crescerá apenas 1,2% no próximo ano. A projeção para 2016 é de expansão da atividade econômica de 2,5%.

Para o ex-secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda Julio Gomes de Almeida, que se classifica como otimista, o crescimento mais forte pode voltar a ocorrer já no segundo semestre do ano que vem, após a “digestão” de um aperto fiscal e de um realinhamento de preços de energia elétrica e de combustível.

“O país tem condições de crescer 2% no ano que vem e a Selic pode caminhar para 10%. É um patamar muito ruim [da Selic, hoje] para a indústria. O que a indústria precisava neste ano era investir mais. Apenas se investir mais sairá do buraco que está”, afirma.

O economista-chefe da INVX Global Partners, Eduardo Velho, também se diz moderadamente otimista com o desempenho da economia no ano que vem e aposta que os juros podem voltar a cair no segundo semestre e o PIB chegar a 2%. Ele trabalha com um cenário de vitória da oposição ou de mudança na condução da política econômica da presidente Dilma. Para Velho, isso ocorre com um ajuste fiscal que leve a meta de superávit primário para até 3% bem como pela sinalização, já no primeiro trimestre, de reformas tributária e da Previdência.

“A política fiscal pode ser a grande aliada para evitar o aumento dos juros, mas para a taxa de investimento deslanchar é preciso um conjunto de reformas”, afirma.

Com a economia em marcha lenta e projeções mais favoráveis para a inflação, a pesquisa do BC mostra que os economistas passaram a esperar por uma alta mais moderada para a taxa de juros (Selic, atualmente em 11% ao ano) em 2015. Analistas do mercado financeiro consideram que o BC não precisará aumentar tanto os juros para domar a inflação no ano que vem. Segundo a pesquisa, os juros devem subir para 11,75% ao ano. Até a semana passada, a aposta era que a Selic chegaria a 12% ao ano no fim de 2015.

A queda nos juros é reflexo de projeções melhores para a inflação. O levantamento do BC mostra que a estimativa para o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) deste ano caiu pela quinta semana seguida: de 6,26% para 6,25%. Outro fator que leva à expectativa de juros mais baixos é o crescimento. Com a economia em um ritmo menos acelerado, a dose do remédio contra a alta de preços pode ser menor.

Ainda segundo o Boletim Focus, a estimativa de retração do setor industrial passou de 1,53% para 1,76% em 2014.

“A projeção está bem realista porque temos perspectiva de desemprego em alguns setores e ainda por cima queda no consumo das famílias”, aponta o economista-chefe da corretora NGO, Sidnei Nehme.

Para alguns economistas, no entanto, a indústria poderá voltar a crescer no ano que vem. Leonardo França Costa, da Rosenberg & Associados, não vê espaço para retomada do PIB no ano que vem. Ele prevê alta de apenas 0,9%, próxima do resultado deste ano. Considera, porém, que para a indústria, o pior já passou:

“O setor automobilístico teve neste ano o seu momento mais difícil. No ano que vem, existe a perspectiva de aumento da demanda interna, a expectativa de que a economia argentina melhore e que mesmo a economia mundial melhore também”, afirma.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.