• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Bolsa » Ibovespa se mantém em alta com empate entre Dilma e Marina

Agência O Globo

Publicação: 18/08/2014 15:55 Atualização:

Os investidores estão animados com uma possível vitória da oposição no segundo turno das eleições presidenciais, mas esperam uma sinalização mais "pró-mercado" por parte da possível candidata do PSB, Marina Silva. Às 14h22, o Ibovespa, principal indicador do mercado acionário local, operava em alta de 0,99%, aos 57.529 pontos. Já o dólar comercial apresentava leve recuo de 0,08%, a R$ 2,2620 na venda.

"A primeira leitura é positiva, mas para o Ibovespa buscar um patamar mais alto é preciso sentir maior segurança no discurso de Marina Silva, em que ela mostre a continuidade do discurso de Eduardo Campos, que é mais pró-mercado", afirmou Adriano Moreno, estrategista da Futura Invest.

O índice sobe após a divulgação da pesquisa Datafolha divulgada nesta segunda-feira, que já inclui a possível candidata do PSB em substituição a Eduardo Campos, morto em acidente de avião no último dia 13 de agosto. Nas simulações do segundo turno, a ex-ministra do Meio Ambiente do governo Lula aparece à frente da candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT), mas ainda em um cenário de empate técnico. Esse movimento tende a ser visto como positivo pelos agentes de mercado, que desejam mudanças na condução da política econômica do país

Pró-mercado, segundo Moreno, significa a defesa do chamado tripé econômico (câmbio flutuante, controle da inflação e equilíbrio nas contas públicas) e uma maior autonomia do Banco Central.

No entanto, na avaliação de Ari Santos, gerente de renda variável da H.Commcor, embora tenha esse efeito positivo em relação à nova pesquisa eleitoral, ainda é cedo para dizer que esse feito será duradouro. Mas ele também concordar que é necessário ter mais informações sobre as propostas dela para a política econômica do país.

"Ainda é muito prematuro. Essa pesquisa foi realizada em um momento de comoção. A candidatura nem está oficializada. É preciso ainda esperar os debates e o início da campanha na TV para ver se esse movimento tem sustentação", avalia.

Santos lembra ainda que há um movimento grande na Bolsa nesta segunda-feira devido ao vencimento dos contrações de opções sobre Ibovespa. Nessas datas, o índice costuma ficar mais volátil porque há uma disputa entre comprados (que apostam na alta) e vendidos (que apostam na queda) e isso influencia as ações com maior liquidez, como Petrobras, Vale e alguns papéis do setor bancário.

Isso justifica a volatilidade nas ações da Petrobras. Os papéis preferenciais (sem direito a voto) da estatal registram alta de 1,89% e os ordinários (com direito a voto) sobem 1,32%. Já as ações sem direito a voto da Vale apresentam alta de 0,61% e os ordinários sobem 0,64%. Já entre os bancos, Itaú Unibanco e Bradesco registram altas de, respectivamente, 1,20% e 0,66%. Já as ações do Banco do Brasil estão praticamente estáveis, com leve alta de 0,03%.

Na avaliação de Pedro Paulo Silveira, economista-chefe da corretora TOV, Marina ainda não pode ser considerada a ?candidata do mercado? e considera ainda que, caso o PSB venha a ganhar as eleições, o partido terá dificuldade em fazer acordos no Congresso Nacional para governar em um momento de economia global hostil aos países emergentes.

A mineradora MMX ficou de fora da segunda prévia do Ibovespa. A terceira e última prévia será divulgada em 29 de agosto, fixando a carteira teórica que irá vigorar de setembro a dezembro. Atualmente, o papel da mineradora tem um peso de 0,020% na carteira que iniciou sua validade em maio e que vigora até o final do mês.

Nessa segunda prévia foi mantida as ações da Brookfield Incorporações e da fabricante de carrocerias de ônibus Marcopolo. Ao todo, são 69 ações de 65 empresas. Os cinco ativos que possuem o maior peso nessa prévia são: preferenciais do Itaú Unibanco (com participação de 9,564%), preferenciais da Petrobras (8,084%), preferenciais do Bradesco (7,314%), ordinárias da Ambev (6,595%) e preferenciais da Vale (5,166%).

Já no mercado de câmbio, o dólar comercial apresenta recuo diante o real. Às 14h22, a moeda americana era cotada a R$ 2,2600 na compra e a R$ 2,2620 na venda. leve queda de 0,08%.

Na avaliação de Luciano Copi, economista da Correparti Corretora de Câmbio, a cotação da moeda americana também reagiu à divulgação da nova pesquisa eleitoral. Além disso, há uma menor tensão no exterior, o que deixa o dólar menos pressionado.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.