• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Ação penal » Argentina processa gráfica dos EUA por decretar falência

AFP - Agence France-Presse

Publicação: 18/08/2014 09:45 Atualização:

A presidente argentina, Cristina Kirchner, anunciou que o governo entrou com uma ação penal contra a gráfica americana Donnelley, acusando-a de forjar sua falência e de estar ligada ao "fundo abutre" NML.

O fundo especulativo NML derrotou a Argentina na Justiça em um processo por sua dívida em "default". "De fato, argentinos e argentinas, apresentamos uma denúncia penal, desta vez perante a Justiça Federal, porque a quebra da Donnelley é um crime federal por alteração da ordem econômica e financeira", escreveu a presidente em sua conta no Facebook, ontem (17).

A Donnelley disse ter registrado perdas entre US$ 15 milhões e US$ 20 milhões, além de ter demitido 400 funcionários em sua fábrica de Buenos Aires. A declaração foi contestada por Cristina Kirchner, segundo a qual uma inspeção fiscal comprovou que "(a empresa) não tinha dívidas, nem dificuldades financeiras".

Esta semana, Kirchner acusou a Donnelley de "querer semear pânico e terror". De acordo com a presidente, "detectamos que, entre seus acionistas, há um fundo de investimento, o Black Rock, que foi transferido por Paul Singer", líder do fundo NML. Junto com Aurelius, o fundo ganhou em Nova York um processo para cobrar de forma integral uma dívida de US$ 1,33 bilhão.

No sábado à noite, a empresa divulgou um comunicado, culpando sindicatos e o Ministério do Trabalho pelo fracasso das estratégias para evitar a quebra. A Donnelley alegou que "ficou sem opções para enfrentar a crise, que inclui a alta dos custos pela inflação, a alta do custo trabalhista, o aumento dos insumos para produção, a desvalorização e a incapacidade de cumprir os vencimentos das dívidas".

Também negou que a quebra tenha relação com a batalha legal pela dívida em "default" e afirmou que o tema "não foi discutido com nenhuma outra empresa, acionista, ou detentor de bônus". "Não temos qualquer relação com a presente situação com os credores da Argentina", insistiu a Donnelley.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.