• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Força dos ventos » Geração de energia de eólicas cresce 44% em maio

Agência Estado

Publicação: 01/08/2014 21:10 Atualização:

As usinas eólicas em operação comercial no Brasil geraram 747 MW médios de energia em maio, o que representa uma expansão de 44% em relação ao mesmo período do ano passado. Levantamento mensal divulgado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) aponta que, ao final de maio, eram 131 usinas em operação uma a mais do que em abril. Em maio do ano passado, eram 83 as usinas em situação de operação comercial no Brasil.

Com o início das atividades de novas usinas, a capacidade instalada no conjunto de projetos eólicos chegou a 3.331 MW em maio, um salto de 64,3% em relação a maio do ano passado. Quando considerada a capacidade instalada ao final do ano passado, há um acréscimo de 52,7%.

"Esse crescimento foi motivado, sobretudo, pela entrada de usinas do 2º Leilão de Energia de Reserva (LER) e de usinas com entrega no Ambiente de Contratação Livre (ACL), além do aumento de capacidade em operação comercial de usinas existentes e de novas usinas do 2º Leilão de Fontes Alternativas (LFA) e do 12º Leilão de Energia Nova (LEN)", destacou em nota a CCEE. O levantamento considera as usinas eólicas cadastradas na CCEE.

A geração de 747 MW médios equivale a um fator de capacidade médio de 22% em maio, o que representa uma queda de quatro pontos porcentuais em relação ao mesmo período do ano passado. Ainda assim, aponta a CCEE, o fator de capacidade registrado nos últimos 12 meses coloca o Brasil em "patamar superior ao de países com maior potencial eólico instalado", casos de China, Alemanha e Espanha, considerando números registrados por esses países nos últimos anos.

Regiões
De acordo com o Boletim das Usinas Eólicas da CCEE, a geração eólica no submercado Nordeste representou 75,7% do total de geração das usinas eólicas no Sistema Interligado Nacional (SIN) em maio. A participação do submercado Sul foi de 23,9% e no submercado Sudeste, de apenas 0,4%.

O principal Estado é o Rio Grande do Norte, com um total de 40 usinas e geração de 291 MW médios. Há ainda uma capacidade de mais de 600 MW de usinas contratadas em leilões anteriores mas que estão impedidas de operação devido a restrições nos sistemas de distribuição ou transmissão para conexão ao SIN, destaca a CCEE.

O levantamento de maio mostra que o segundo estado mais importante é o Ceará, com geração média de 146 MW, seguido por Rio Grande do Sul (129 MW médios) e Bahia (102 MW médios).

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.