• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Cúpula » Mercosul oferece 'desenvolvimento inclusivo', diz Dilma

Agência Estado

Publicação: 29/07/2014 17:26 Atualização:

A presidente Dilma Rousseff afirmou na tarde desta terça-feira, 29, que o Mercosul contribuiu para consolidar o espaço político e econômico na América do Sul. "Desde a assinatura do Tratado de Assunção (em 1991, que criou o mercado comum) o comércio no bloco cresceu mais do que 11 vezes, o dobro do comércio global", afirmou durante discurso na Cúpula do Mercosul e Estados associados, em Caracas, na Venezuela.

A presidente acrescentou que o comércio brasileiro com países do bloco cresceu mais do que com "outros importantes parceiros tradicionais." Segundo Dilma, o Mercosul é compromisso dos países do continente com o desenvolvimento inclusivo. "O Mercosul é um espaço político, amplo, democrático e plural", afirmou.

A presidente disse que os países do bloco compartilham da "lógica de integração". "Queremos uma lógica economicamente consistente e que seja socialmente justa", afirmou. Dilma destacou ainda que hoje o bloco possui 45 projetos aprovados que somam US$ 1,4 bilhão em áreas como habitação e transporte.

Mercado interno
A presidente brasileira também disse que a ampliação do mercado interno ajuda os países do Mercosul no enfrentamento de algumas "instabilidades visíveis" no quadro internacional. Segundo Dilma foi o mercado interno o grande motor do desenvolvimento nessas nações.

Em seguida, a presidente elogiou a ampliação do Mercosul e exaltou a adesão da Bolívia como um "passo importantíssimo" para o grupo. Segundo Dilma, o bloco deve agora buscar a implementação da desgravação tarifária para permitir a criação de uma área de livre-comércio.

A presidente salientou, no entanto, que os países do Mercosul não podem "negligenciar a inserção de nossas economias no mundo global". Afirmou, também, que o Mercosul já entregou à União Europeia uma oferta de acordo "compatível com os compromissos assumidos em 2010". Dilma disse que, agora, o bloco aguarda uma contrapartida e defendeu que um acordo só será possível com um "intercâmbio simultâneo de ofertas".

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.