• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Guloseima » Todo dia é dia de sorvete. Nordeste responde por 10% do consumo do país Pernambuco caiu no gosto dos empresários e vem recebendo mais empreendimentos. Só no ano passado foram abertas 714 novas empresas, entre fábricas e sorveterias

Rochelli Dantas - Diario de Pernambuco

Publicação: 27/07/2014 08:00 Atualização: 25/07/2014 17:35

Existem atualmente 3.635 registros ativos no setor de sorvetes no estado, entre fábricas e sorveterias. Foto: Alcione Ferreira/DP/D.A Press
Existem atualmente 3.635 registros ativos no setor de sorvetes no estado, entre fábricas e sorveterias. Foto: Alcione Ferreira/DP/D.A Press
O sorvete é uma ótima pedida para minimizar as altas temperaturas do Nordeste no verão. Também é um bom companheiro nos dias mais fresquinhos do inverno. Segundo a Consultoria Nielsen, a região responde por 10% do consumo nacional de sorvetes. E enquanto houve queda de 7,2% nas vendas no país até o primeiro semestre do ano passado, no Nordeste aconteceu o oposto: crescimento de 11,3%. Mas não é apenas o consumo que chama atenção. A região está virando também destino de empresas para a instalação de suas fábricas. E Pernambuco caiu no gosto dos empresários do setor.

De acordo com dados da Junta Comercial de Pernambuco (Jucepe), atualmente existem 3.635 registros ativos no setor de sorvetes, entre pequenas fábricas e sorveterias. No ano passado foram 714 novas empresas abertas no segmento. No caso das grandes indústrias, dois fatores atraem as empresas: oferta de água de qualidade e incentivos fiscais.

Um levantamento da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper) mostra que quatro indústrias do segmento foram beneficiadas pelo Programa para o Desenvolvimento de Pernambuco (Prodepe), que oferece até 95% de desconto no crédito presumido do Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS).  Juntos, os projetos somam mais de R$ 20 milhões em investimentos e 583 empregos.

Fábrica da Zeca%u2019s possui capacidade instalada de 2,5 milhões de litros ao mês. Foto:Alcione Ferreira/DP/D.A Press
Fábrica da Zeca%u2019s possui capacidade instalada de 2,5 milhões de litros ao mês. Foto:Alcione Ferreira/DP/D.A Press
A Zeca’s sorvetes é uma das empresas atraída por incentivos fiscais e pela oferta de água. Com um parque fabril instalado no município de Paulista, a empresa possui 530 funcionários em Pernambuco. Daqui, a empresa atende a todo o Nordeste. A unidade possui capacidade instalada de 2,5 milhões de litros ao mês e vê o faturamento crescer 30% ao ano. “O mercado está em expansão. Com o aumento da renda dos brasileiros, ganhamos um amplo mercado e o Nordeste é a bola da vez”, afirma o diretor da marca, Paulo Roberto de Oliveira e Silva. Segundo ele, a grande barreira do setor é a sonegação fiscal, observada principalmente entre as pequenas empresas. Difícil também é concorrer com produtos de abrangência nacional.

Outra indústria que apostou em Pernambuco é a Sorvetes Milet, que possui uma fábrica em Limoeiro, no Agreste. Com investimento de R$ 4 milhões, a planta foi erguida em uma área de dois hectares (20 mil metros quadrados) doada pela prefeitura. Deste total, 4,4 mil metros quadrados são de área construída. “A Milet nasceu há aproximadamente 14 anos. Na época, existiam produtos de nível A, como os das multinacionais, e os produtos de baixíssimo valor agregado. Foi aí que percebemos esse nicho de mercado praticamente inexplorado e criamos uma marca nova”, conta o empresário Renan Milet.

Hoje, a empresa conta com três mil pontos de venda nos estados de Pernambuco, Sergipe e Bahia. Para este ano, o grupo espera expandir os negócios para João Pessoa e cidades próximas. “Com a nova indústria geramos novas possibilidades de negócios, incluindo produzir produtos personalizados para outras indústrias de dentro e fora do estado, trabalho que já fazemos”, pontua Milet.

Setor em expansão

Marcelo Mayer, da Fri-Sabor, diz que a meta é chegar a mil pontos de venda até 2016. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press
Marcelo Mayer, da Fri-Sabor, diz que a meta é chegar a mil pontos de venda até 2016. Foto: Paulo Paiva/DP/D.A Press
Com as altas temperaturas registradas no Brasil, tomar um sorvete deveria ser um hábito corriqueiro. Não é bem assim. Apesar do clima favorável, no Brasil se toma menos sorvetes do que em outros países. Por aqui, o consumo per capita é de 6,2 litros ao ano, o que nos coloca na 29ª posição do ranking global. Mas este é um mercado em franca expansão no país. O setor registrou um crescimento médio de 5,6% ao ano nos últimos cinco anos, segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias e do Setor de Sorvetes (Abis).

Com o mercado em alta, a pernambucana Fri-Sabor, instalada no município de Paulista, decidiu investir na ampliação de lojas próprias e de franquias. Com isso, a empresa pretende ganhar mercado em outros estados. Hoje, são 12 lojas da marca, todas em Pernambuco. A meta é chegar a 26 unidade até o final do ano, entre próprias e franquias. Apenas neste semestre, o grupo irá inaugurar unidades em João Pessoa, Campina Grande, Natal, Fortaleza e Alagoas.

“São oportunidades de ganhar mercado. Até 2016 a meta da empresa é atingir a marca de mil pontos de vendas e 50 lojas, entre próprias e franquias. Hoje temos 250 pontos de venda, entre padarias, delicatessens e supermercados, e 17 lojas”, conta o sócio-diretor da marca, Marcelo Mayer.  

Incentivada pelo Prodepe, o parque fabril da Fri-Sabor possui uma área de 37.962 metros quadrados, sendo 5,6 mil metros quadrados de área construída, e conta com três linhas de produção. No local são fabricados mais de 40 sabores. A capacidade instalada da unidade é de cinco milhões de litros ao ano. A empresa registrou crescimento de receita de 45,8% ao ano entre 2009 e 2013.


Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.