• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Cielo: » Gasto por estrangeiro com cartão cai 7,2% com Copa

AE

Publicação: 15/07/2014 19:34 Atualização:

O gasto médio dos turistas estrangeiros no Brasil durante os jogos da Copa do Mundo caiu 7,2%, para R$ 241, ante cifra de R$ 260 registrada nos cinco primeiros meses deste ano, segundo dados da Cielo, credenciadora de lojistas para a captura de transações com cartões de débito e crédito. A queda nos números, que consideram todo o volume gasto por esses visitantes no País de 12 de junho a 8 de julho, está diretamente relacionada, conforme Gabriel Mariotto, gerente da área de Inteligência da Cielo, ao foco dos gastos.

"Bares e restaurantes, setor em que tradicionalmente o tíquete médio é menor, foram os que mais concentraram gastos de estrangeiros durante a Copa do Mundo, representando 38 de cada 100 compras feitas no País", explica ele, em nota à imprensa.

Segundo levantamento da Cielo, os holandeses registraram o maior tíquete médio durante os jogos, de R$ 446. Em seguida, vieram os suíços, que desembolsaram, em média, R$ 416 por compra no comércio brasileiro. Já os espanhóis, que depois de vencerem a Copa na África do Sul foram eliminados já na primeira fase do torneio no Brasil, gastaram R$ 174 em cada compra feita no Brasil. Os últimos no ranking foram os argentinos, com uma média de R$ 127.

Do total dos gastos dos estrangeiros durante a Copa do Mundo no Brasil, os turistas norte-americanos tiveram a maior participação, conforme a Cielo. De cada R$ 100 em compras no País, R$ 25 vieram de visitantes dos Estados Unidos. Reino Unido e Argentina vieram logo atrás com 5,8% e 5,2%, respectivamente.

Os turistas colombianos, mexicanos e chilenos, cujos gastos em cartão, segundo a Cielo, foram inexpressivos no Brasil durante os cincos primeiros meses de 2014, impulsionaram as vendas do varejo brasileiro durante a Copa. A participação dos visitantes da Colômbia atingiu 4,7% do total gasto por estrangeiros no período, seguidos pelos do México, com 4,4%, e chilenos, com 3 1%.

Com 12 cidades-sede, a Copa no Brasil possibilitou uma maior diversificação geográfica de gastos de turistas estrangeiros, segundo a Cielo. A exceção foram Rio de Janeiro e São Paulo, que geralmente, recebem a maior parte dos visitantes internacionais e tiveram queda no porcentual de participação enquanto as demais apresentaram tendência de alta. As duas cidades responderam por 66,8% do total dos gastos de turistas de fora do País na Copa, queda de 12,4 pontos porcentuais ante o mesmo período de 2013, quando ambas representavam, juntas, 79,2% do todo.

Depois de Rio de São Paulo, a cidade-sede que concentrou o maior gasto de turistas estrangeiros foi Brasília, com fatia de 5,7%. Em seguida, vieram Salvador (4,7%) e Belo Horizonte (4,2%). Na outra ponta, ficou Cuiabá, com 1,2% de participação. Apesar de galgar a pior posição neste indicador, a capital do Mato Grosso triplicou seu desempenho em relação a 2013, quando, no mesmo período, respondeu por 0,4% dos gastos de turistas estrangeiros no Brasil.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.