• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Anac » Avianca considera injusta decisão sobre slots do aeroporto de Congonhas

Agência Estado

Publicação: 10/07/2014 16:47 Atualização:

O presidente da Avianca, José Efromovich, disse nesta quinta-feira, 10, que considerou totalmente injusta a resolução sobre a distribuição de slots no Aeroporto de Congonhas, publicada hoje pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Para ele, a fórmula definida para realizar a distribuição dos slots resultará em um resultado diferente de um dos objetivos da resolução que é estimular a concorrência.

Entre os itens da fórmula está a participação no mercado de aviação no País e a participação no mercado de aviação regional, quanto maior o market share, maior a nota. A Avianca possui a menor participação entre as principais companhias aéreas nacionais - que incluem também TAM, Gol e Azul - de cerca de 8%, por isso, o critério de market share a penaliza, diz ele.

"Consideramos totalmente injusto. Pelo fato de ter market share menor, nossa nota será menor, e a distribuição vai ser desproporcional, será uma distribuição voltada para concentração de mercado", afirma.

Efromovich também criticou o critério de participação no mercado de aviação regional no País, o que deve beneficiar, principalmente, sua principal concorrente, a Azul. "Aviação regional que não tem nada a ver com Congonhas", disse, lembrando que o aeroporto está em uma capital.

Segundo o executivo, os critérios estabelecidos não são utilizados em nenhum outro lugar do mundo e entram em contradição com os objetivos da medida, de promover, estimular e estimular a competição. "É uma medida desetimuladora, vai bloquear o nosso crescimento", disse. Ele defende que o critério deveria ser exclusivamente o de maior eficiência e diz que irá questionar o governo sobre a medida.

Questionado se a companhia modificaria sua estratégia de crescimento por causa da resolução, ele disse que ainda vai avaliar a questão. No acumulado dos últimos três anos, a Avianca afirma ter registrado um crescimento de 310%, enquanto a média do mercado brasileiro foi 10%.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.