• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Investimento » Hemobrás investe R$ 10 milhões em sistema de produção de água purificada

Publicação: 04/07/2014 13:02 Atualização: 04/07/2014 13:38

Novo lote de equipamentos chegou à fábrica da Hemobrás em Goiana (Joao Luiz dos Anjos/Hemobras/Divulgação)
Novo lote de equipamentos chegou à fábrica da Hemobrás em Goiana
Um novo lote de equipamentos chegou à fábrica da Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobrás), em Goiana, Zona da Mata Norte do estado. Os sistemas, que tiveram investimento de R$ 10 milhões, tem como finalidade a produção de água purificada para a indústria.

O material foi construído na Suíça e é composto por dois itens. O primeiro é destinado à produção de água abrandada, que com baixo teor de íons, cálcio e magnésio irá preservar o maquinário e a tubulação com as quais entrar em contato. O outro fará a ultra purificação do líquido, que servirá de matéria-prima para produção de água para injetáveis (utilizada nos medicamentos), além de servir a sistemas de limpeza de equipamentos e geração de vaporpuro farmacêutico.

A linha de produção de água purificada é composta de pré-tratamento e dois módulos de purificação, com capacidade de produção de 24 mil litros por hora. Já a linha secundária, para produção de água abrandada,é composta por resinas de troca iônica, que irão gerar até nove mil litros no mesmo período de tempo.

Esses equipamentos serão instalados no subsolo do Bloco B02 de nossa fábrica, prédio onde serão fabricados os hemoderivados, e fecham a estrutura de produção, armazenamento e distribuição da água do parque fabril, umavez que os tanques e as tubulações, vindos da França, já foram entregues e devem ter instalação concluída até dezembro”, explicou o gerente de Incorporação Tecnológica e Processos, Antonio Edson Lucena.

No ano passado, três empregados da Hemobrás estiveram na Suíça onde acompanharam a realização de testes funcionais nessses sistemas. Tecnicamente chamado de FAT (do inglês Factory Acceptance Test), a avaliação serviu para identificar se foram cumpridas todas as exigências relacionadas às Boas Práticas de Produção e Engenharia, além das normas de segurança. Os sistemas chegaram ao Porto de Suape com quatro contêineres, totalizando 16 caixas e pesando quase 22 toneladas.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.