• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Consumo » Brasileiros estão gastando mais com a Copa, diz pesquisa

Agência Estado

Publicação: 02/07/2014 16:28 Atualização:

Nas 12 cidades que estão sediando jogos da Copa do Mundo, os eventos estão impulsionando o consumo, avaliam o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Pesquisa realizada pelas duas entidades apurou que nas cidades-sede, 72% dos entrevistados têm a intenção de assumir gastos extras durante o mundial, principalmente com alimentação e bebidas. Isso representa um contingente de mais de 14 milhões de consumidores dispostos a gastar mais durante este período de partidas entre as principais seleções do mundo, e isso considerando somente as localidades que estão recebendo os jogos.

Na lista dos itens mais citados quanto à intenção de compras, o primeiro lugar é ocupado pelos refrigerantes (84%). Na segunda posição ficaram os salgadinhos e tira-gostos (50%) e, em seguida churrasco (40%) e cervejas (39%). Os brasileiros também pretendem ter gastos extras com roupas e acessórios temáticos, como uniformes da seleção, camisas com as cores do Brasil, bonés bandeiras, cornetas, lembrados por 45% da amostra. Em seguida, estão os gastos com decoração (40%), apostas em bolões (29%), despesas com assinatura de TV a cabo (20%) e aquisição de novos aparelhos de TV (19%).

SPC e CNDL apuraram, também, que parcela de 58% dos entrevistados não se planejou para os pequenos gastos do período. Outros 27% afirmaram ter feito uma reserva para cobrir os gastos e fatia de 9% admitiu que acabará gastando mais do que efetivamente pode. "Muitas vezes, no calor das comemorações, o consumidor não se preocupa com os pequenos gastos, que, acumulados, podem comprometer o orçamento", afirma a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti.

A pesquisa buscou mapear as expectativas e primeiras impressões e identificar alterações nos padrões de consumo em função do mundial. Para isso, o SPC Brasil e a CNDL ouviram 2.558 pessoas de ambos os sexos, de todas as classes sociais e acima de 18 anos entre os dias 13 e 18 de junho (primeira semana do mundial) nas 12 cidades-sede. A margem de erro é de no máximo dois pontos porcentuais para um intervalo de confiança a 95%.

Alta de preços
A pesquisa apurou, ainda, que os consumidores perceberam aumento nos preços praticados pelos comerciantes e prestadores de serviços neste período de Copa. Parcela de 93% das pessoas ouvidas disse ter notado altas nos valores cobrados por hotéis e pousadas. Para 80% do entrevistados, os preços subiram nos bares. Outros 78% disseram ter verificado alta de preços nos restaurantes. Os supermercados foram lembrados por 57% dos entrevistados.

Na avaliação do presidente da CNDL, Roque Pellizzaro Junior, o levantamento constata que o aumento de gastos do brasileiro no período da Copa é restrito a setores específicos da economia, como supermercados (alimentação e bebidas), serviços de bares e restaurantes e produtos temáticos. "O mundial impulsiona a economia, mas de modo muito concentrado. Enquanto alguns setores do comércio e serviços devem lucrar com o aumento da procura, outros, como os bens de maior valor agregado, devem registrar prejuízos. A Copa do Mundo não aquece a economia como um todo", avalia Pellizzaro Junior.

Aprovação
Segundo a pesquisa, 41% dos brasileiros são favoráveis à realização da Copa do Mundo no Brasil, sobretudo os moradores de Manaus (56%) e Natal (55%). Outros 19% são indiferentes e 38%, contrários. Os que menos apoiam a realização da Copa são os moradores de Porto Alegre (46%), Belo Horizonte (44%), Curitiba (44%) e São Paulo (43%). Mais ou menos envolvidos, o fato é que 53% dos entrevistados disseram estar bastante envolvidos com a competição, considerando sua vivência e a participação no evento. Moradores do Recife (61%) e Manaus (59%) são os mais participativos. Os cidadãos de Belo Horizonte (44%) e de Porto Alegre (46%) são os menos motivados com a Copa.

Quando estimulados a avaliar a Copa do Mundo de zero a dez, metade da amostra atribuiu nota igual ou superior a sete para o mundial, com destaque para os residentes de Manaus (70%) e Natal (71%). Os menos entusiasmados são os moradores de Belo Horizonte e Curitiba, com 29% e 26%, respectivamente, atribuindo nota que varia entre um e quatro para a competição. Para 41% dos entrevistados, a realização da Copa superou as expectativas, principalmente para os residentes de Manaus (54%) e Natal (53%). Por outro lado, 21% dos paulistanos e 14% dos cariocas pensam que o mundial está abaixo do esperado.

De acordo com o estudo, 83% dos entrevistados disseram que assistiram ou assistiriam a pelo menos uma partida do mundial, sendo que 59% pretendiam ver não apenas os jogos do Brasil, como também os de outras seleções. Para a maioria dos brasileiros, acompanhar os jogos da Copa do Mundo significa estar na companhia de amigos e familiares, tanto que parcela de 58% do público consultado revelou a intenção de assistir a alguma partida em casa, com outras pessoas. Fatia de 23% dos entrevistados prefere acompanhar as partidas em bares, restaurantes ou ambientes similares e 9%, nos próprios estádios.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.