• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Pesquisa » Focus prevê queda no índice que corrige aluguel

Agência Estado

Publicação: 30/06/2014 09:54 Atualização:

A projeção para o Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) em 2014 caiu de 5,50% para 5,45% na pesquisa Focus realizada pelo Banco Central. Já o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), que corrige a maioria dos contratos de aluguel, recuou de 5,94% para 5,44%.

Quatro semanas atrás, o mercado previa para 2014 altas de 6,73% para o IGP-DI e de 6,59% para o IGP-M. Para 2015, a projeção para o IGP-DI segue em 5,50% há 31 semanas. Para o IGP-M, continua em 5,50% há 24 semanas.

A pesquisa também mostrou que a previsão para o Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) em 2014 segue em 6,04%. Há um mês, a expectativa estava em 6,10% para o índice que mede a inflação ao consumidor em São Paulo.

Para 2015, a projeção se manteve estável em 5,00%. Um mês antes a expectativa era esse mesmo valor, 5,00%. Os economistas também mantiveram estável, em 5,00%, a previsão para os preços administrados (as tarifas públicas) para 2014, essa é quinta semana consecutiva que os analistas não alteram a previsão. Para 2015, a projeção caiu de7,00% para 6,75%. Há quatro semanas, era de 6,60% para o próximo ano.

Conta corrente

O mercado financeiro manteve estável a previsão para o déficit em transações correntes em 2014. Pesquisa Focus mostra que a mediana das expectativas de saldo negativo na conta corrente, este ano, segue em US$ 80,00 bilhões há cinco semanas. Para 2015 a previsão de déficit nas contas externas segue em US$ 75,00 bilhões.

Na mesma pesquisa, economistas revisaram de US$ 2,00 bilhões para US$ 2,01 bilhões a estimativa de superávit comercial em 2014. Quatro semanas antes, estava em US$ 3,00 bilhões. Para 2015, a projeção, após 16 semanas estável em US$ 10,00 bilhões, foi revisada para US$ 9,90 bilhões.

A pesquisa mostrou ainda que as estimativas para o ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED), aquele voltado ao setor produtivo, ficou estável em US$ 60,00 bilhões em 2014 pela décima segunda semana consecutiva. Para 2015, essa previsão aumentou de US$ 55,50 bilhões para US$ 55,60 bilhões.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.