• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Qualificação » Costureiras pernambucanas treinam no México Selecionadas vão trabalhar na unidade da Fiat, em Goiana, contratadas pelo Grupo Lear, para confeccionar bancos automotivos

Rochelli Dantas - Diario de Pernambuco

Publicação: 29/06/2014 08:00 Atualização: 27/06/2014 23:20

Das nove profissionais que embarcam, sete fizeram o curso de qualificação para costureiro industrial do vestuário. Foto: Debora Rosa/Esp.DP/D.A.Press
Das nove profissionais que embarcam, sete fizeram o curso de qualificação para costureiro industrial do vestuário. Foto: Debora Rosa/Esp.DP/D.A.Press
Nove pernambucanas embarcam na próxima quarta-feira (2) para uma experiência única: elas passarão um mês em treinamento na unidade da Lear, fabricante de bancos automotivos, de La Cuesta, no México. Esta é a maior fábrica do grupo, que está se instalando em Goiana, Zona da Mata Norte pernambucana. No México, são produzidas capas para cerca de dez mil carros completos por dia (dois bancos dianteiros e um traseiro). Em Goiana, serão produzidos 45 kits para carros por hora. Por dia, serão 990 kits completos. Por aqui, a produção ocorrerá em três turnos.

Das nove profissionais que embarcam, sete fizeram o curso de qualificação para costureiro industrial do vestuário. As selecionadas participaram de um curso promovido pela Lear em parceria com o Senai e com a Prefeitura de Goiana, por meio da AD Goiana. As aulas tiveram início em fevereiro e foram concluídas no final de abril, quando foi anunciado o nome das 21 escolhidas para treinamento em Paulista e, em seguida, das sete que agora embarcam para o México, já como funcionárias Lear.  As duas profissionais restantes fizeram o curso técnico em vestuário também pelo Senai e participaram de um processo seletivo.

Antes de seguirem viagem, as profissionais passaram por  um treinamento de um mês específico sobre a produção de assentos em uma minifábrica montada na unidade do Senai em Paulista. As aulas foram promovidas por Rossio Martinez, que é supervisora técnica do Centro de Treinamento e Cultura da Lear de La Cuesta. “Ficamos surpresos e satisfeito com a qualidade técnica, empenho, dedicação e aproveitamento das selecionadas”, afirmou o gerente de planta do grupo, Luciano Caldeira.

Cirlene César dos Santos trabalhava como cabeleireira e hoje está de malas prontas para o México. Foto: Debora Rosa/Esp.DP/D.A.Press
Cirlene César dos Santos trabalhava como cabeleireira e hoje está de malas prontas para o México. Foto: Debora Rosa/Esp.DP/D.A.Press
“Antes eu trabalhava apenas em casa como cabeleireira. Quando fiz o curso vi que poderia ter uma nova profissão. Tenho dois filho (de 7 anos e 1 ano) e agora poderei ajudar meu marido com as despesas”, contou Cirlene César dos Santos, 30 anos, moradora do povoado de São Lourenço, em Goiana. Ela é uma das mulheres que está de malas prontas. Quando voltarem do México, as costureiras serão multiplicadoras dos demais contratados. Para o este cargo, serão contratados, até o final do ano, 170 funcionários, entre homens e mulheres.

As seleções para os mais diversos cargos da indústria continuam.  Além do cargo de costureira (que somaram 170 funcionários até o final do ano), a empresa também busca profissionais da área de qualidade, logística e manutenção. Quando em plena operação, a unidade deve contratar 110 pessoas nessas três áreas. Os pré-requisitos básicos são: morar em Goiana ou arredores, ter o segundo grau completo e, preferencialmente, com curso técnico nessas áreas. Os currículos devem ser enviados para selecaogoiana@lear.com.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.