• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Bolso » As contas nas pontas dos dedos Ferramentas na internet ajudam o brasileiro a se organizar financeiramente. Nos sites, é possível listar os gastos e recebimentos, de forma automática, dando noção do orçamento, podendo realizar os ajustes necessários

Sávio Gabriel - Especial para o Diario

Publicação: 21/06/2014 08:00 Atualização: 13/06/2014 20:15

Portal Guiabolso.com é uma plataforma de controle financeiro pessoal, lançado há certa de um mês. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press
Portal Guiabolso.com é uma plataforma de controle financeiro pessoal, lançado há certa de um mês. Foto: Ricardo Fernandes/DP/D.A Press
Você consegue controlar seus gastos mensais e se planejar para aquela tão sonhada viagem ou para a compra da casa própria? Sabe quanto seu dinheiro vai render se for aplicado em renda fixa ou em Títulos do Tesouro? Se a resposta é não, a internet pode ser uma grande aliada para mudar essa situação. Com o crescimento do acesso à rede mundial de computadores, as ferramentas que ajudam o brasileiro a se organizar financeiramente  estão se multiplicando na web.  

Uma dessas ferramentas foi lançada há pouco mais de um mês pelo portal de finanças pessoais Guiabolso.com. “É uma plataforma de controle financeiro pessoal, e a grande diferença é que o preenchimento dos gastos acontece de maneira automática”, explica Thiago Alvarez, um dos sócios do site. Segundo ele, o usuário precisa apenas fazer um cadastro e  vincular as informações do internet banking. “Puxamos todas as informações montamos o perfil de consumo, categorizando cada despesa, como viagens, alimentação, transportes etc.”

Os dados, garante Thiago, permanecem em sigilo. “Temos várias certificações de segurança, e os dados são apenas para simples visualização. Tanto que o usuário não pode fazer transações por meio do Guiabolso.com.” O interesse de criar a ferramenta automatizada veio através das observações dele e  do sócio. “Percebemos que a raiz de boa parte dos problemas dos brasileiros era a falta de controle financeiro”, diz. Não é para menos:  de acordo com uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), 81% dos consumidores brasileiros têm pouco ou nenhum conhecimento sobre como controlar as despesas pessoais.

Jurandir Macedo alega que a internet vem sendo um excelente canal para ajudar no controle das finanças. Foto: Tatiana Nascimento/DP/D.A Press
Jurandir Macedo alega que a internet vem sendo um excelente canal para ajudar no controle das finanças. Foto: Tatiana Nascimento/DP/D.A Press
Além do Guiabolso.com, existem outras ferramentas na web. A s páginas oficiais de alguns bancos brasileiros já possuem uma sessão específica para educação financeira. O Itaú, por exemplo, criou em 2004 a página Uso Consciente, na qual é possível simular o orçamento, assistir a vídeos e conferir algumas dicas. “Educar financeiramente o brasileiro é algo que exige diversos atores, como o governo, a família e, nos últimos, a internet  tem sido um canal importantíssimo”, explica o consultor de finanças pessoais do Itaú Jurandir Macedo.

Segundo ele, as gerações passadas tinham o hábito de anotar gastos e receitas, e de se planejar melhor. “A inflação que assolou nosso país por vários mudou essa realidade, porque não era possível fazer planejamento com os preços oscilando bastante”, lembra. Segundo ele, apesar das facilidades, é preciso ter cuidado antes de utilizar a web para se organizar financeiramente. “É preciso saber quem está do outro lado, se as informações são confiáveis e se os dados fornecidos não serão utilizados para outros fins”, orienta.

Para o analista do Banco Central Isoláquio Mustafa é inegável o benefício da internet para educar financeiramente.  “Quando analisamos individualmente, percebemos que há uma mudança a curto prazo. Em nível global, no entanto, é preciso de certo tempo ainda.”

Ações de educação financeira no Norte e Nordeste

De acordo com o Mapeamento de Educação Financeira do Brasil, realizado pela Associação de Educação Financeira (AEF Brasil), o Norte e o Nordeste são as regiões mais atingidas pela falta de ações voltadas à educação financeira. Apenas 6% das iniciativas são direcionadas as duas regiões. De olho nesse cenário, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) e os bancos associados realizaram ações coordenadas para orientar os brasileiros com relação às finanças.

Em 8 de maio aconteceu o lançamento da plataforma aberta de acesso aos livros do Programa de Educação Financeira nas escolas. Os títulos podem ser acessados por professores, escolas e sociedade civil ligada à educação, de qualquer região do país. Além disso, houve gincanas entre estudantes de todo o Brasil para estimulá-los a aprender mais sobre a educação financeira.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.