• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Investigação » Fornecedoras da Petrobras são suspeitas de depositar recursos para Youssef O montante era repassado a Youssef no Brasil por meio das empresas dele: a GDF Investimentos e a MO Consultoria

Correio Braziliense

Publicação: 14/06/2014 10:41 Atualização:

Alberto Youssef está preso desde março: suspeito de liderar quadrilha que movimentou recursos bilionários - Foto: Carlos Moura/CB/D. A Press (Carlos Moura/CB/D. A Press)
Alberto Youssef está preso desde março: suspeito de liderar quadrilha que movimentou recursos bilionários - Foto: Carlos Moura/CB/D. A Press
As investigações da Operação Lava-Jato, da Polícia Federal, identificaram depósitos de empresas acusadas de desviar dinheiro da Petrobras para contas na Suíça atribuídas ao doleiro Alberto Youssef. Fornecedoras da petroleira, as empresas Sanko Sider e a OAS são apontadas como depositárias de quantias nas contas mantidas no exterior. Esta semana, o Ministério Público suíço bloqueou US$ 28 milhões vinculados à Lava-Jato e mantidos em cinco bancos do país europeu: US$ 23 milhões seriam do ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa, e outros US$ 5 milhões são atribuídos ao doleiro Youssef.

Informações que constam do documento do Ministério Público da Confederação Suíça apontam que as contas foram abertas em nome de 13 offshores. Segundo o jornal O Globo, as contas vinculadas ao ex-diretor da Petrobras, preso pela segunda vez esta semana, eram movimentadas por ele, pelas duas filhas e os genros. Assim, todos os envolvidos no esquema também passam a ser investigados pela Justiça suíça. A Polícia Federal apura se a quantia bloqueada no exterior é originária da compra da Refinaria de Pasadena (EUA) e das obras de construção da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco.

As investigações mostram que a Sanko Sider pagou pelo menos R$ 10 milhões no fornecimento de tubos de aço para as obras da Refinaria Abreu e Lima. O montante era repassado a Youssef no Brasil por meio das empresas dele: a GDF Investimentos e a MO Consultoria, que traziam tubos da China. Entre 2011 e 2013, foram fechados 29 contratos de fornecimento. Porém, segundo a PF, os pagamentos ocorreram este ano.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.