• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Greve » IBGE tenta negociar paralisação

Correio Braziliense

Publicação: 11/06/2014 08:44 Atualização:

A diretoria do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aceitou mediar uma negociação entre os seus servidores em greve e o Ministério do Planejamento, ao qual é subordinado. Para tratar do assunto, representantes da Assibge, associação que representa os servidores do IBGE, se reuniram no fim da manhã de ontem, no Rio de Janeiro, com a presidente do órgão, Wasmália Bivar. Ela se comprometeu em marcar encontro até amanhã com a Secretaria de Relações de Trabalho do Ministério para que os grevistas apresentem a pauta de reivindicações. A paralisação começou em 26 de maio.

Com esse diálogo, as tensões entre a direção e os funcionários do órgão diminuíram. Os sindicalistas mudaram o discurso e suspenderam a cobrança pela saída da presidente de demais membros do conselho diretor. Mas, mesmo com a liminar concedida pela Justiça para que a associação mantenha ao menos 70% da força de trabalho em atividade durante a greve, sob pena de multa diária de R$ 100 mil, a líder dos trabalhadores afirmou que não houve recuo no movimento.

“Não podemos deixar de reconhecer que foi um aceno importante”, afirmou Ana Magni, diretora da executiva da Assibge. As relações de Wasmália com a equipe técnica se desgastaram quando a presidente suspendeu as divulgações da Pnad Contínua, no início de abril. A decisão abriu uma crise institucional. A direção acabou recuando e manteve o calendário original da pesquisa. Segundo a sindicalista Ana, Wasmália avisou que estará presente na reunião com o Planejamento, na qual vai pedir a valorização salarial dos funcionários ao nível de órgãos como o Ipea e o Banco Central.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.