• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Ata de reunião » Mercado ainda não absorveu toda alta da Selic, diz Copom

Agência Estado

Publicação: 05/06/2014 09:09 Atualização:

Para justificar a parada no processo de aperto monetário, o Banco Central (BC) aposta que os efeitos de alta da Selic "em parte" ainda estão por se materializar na economia brasileira. É o que mostra a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), divulgada nesta quinta-feira (5). Segundo ata, a elevada variação dos índices de preços ao consumidor nos últimos doze meses contribui para que a inflação ainda mostre resistência.

"Concorrem para isso dois importantes processos de ajustes de preços relativos ora em curso na economia - realinhamento dos preços domésticos em relação aos internacionais e realinhamento dos preços administrados em relação aos livres", diz o documento.

Os integrantes do Copom reconhecem que os ajustes de preços relativos têm impactos diretos sobre a inflação e reafirmam sua visão de que a política monetária pode e deve conter os efeitos de segunda ordem deles decorrentes. O BC destaca na ata que para combater essas e outras pressões inflacionárias, nos últimos doze meses, as condições monetárias foram apertadas. O BC repetiu na ata avaliação de que é plausível afirmar que, na presença de níveis de confiança relativamente modestos, os efeitos das ações de política monetária sobre a inflação tendem a ser potencializados.

Na reunião do Copom, o BC decidiu manter a Selic em 11% ao ano.Com a decisão, a autoridade monetária encerrou o mais recente ciclo de alta dos juros, que elevou a taxa básica em 3 75 pontos porcentuais desde abril de 2013, quando a Selic estava em 7,25% ao ano, menor nível da história.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.