• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Nota » Fazenda diz não apoiar projeto sobre incentivos fiscais

Agência Estado

Publicação: 04/06/2014 20:56 Atualização:

O ministério da Fazenda divulgou nota nesta quarta-feira, 4, esclarecendo que não apoia a versão original do projeto de lei complementar nº 130/2014, que permite validar os incentivos fiscais concedidos pelos Estados sem a anuência do Conselho Nacional de Política Fazendária (CONFAZ), independentemente da reforma do ICMS.

"Este Ministério entende que a superação dos graves problemas econômicos e federativos que resultam da chamada guerra fiscal pressupõe, necessariamente, a reformulação deste tributo, sendo a mencionada regularização dos benefícios e incentivos parte desse processo que não deveria ser feita isoladamente", afirmou.

A nota tem como objetivo esclarecer informações divulgadas hoje na imprensa. Senadores de diversos partidos se reuniram hoje no gabinete do senador Luiz Henrique (PMDB-SC) para discutir uma proposta que trata da convalidação dos incentivos fiscais concedidos por Estados. Os parlamentares querem acelerar a votação de um projeto que visa a acabar com a guerra fiscal, no momento em que o Supremo Tribunal Federal pode editar uma súmula vinculante para declarar ilegais todos os benefícios dados.

O secretário executivo adjunto do ministério da Fazenda, Dyogo Oliveira, que participou da reunião disse que o governo não é a favor da simples convalidação porque ela é inconstitucional. Ele afirmou ser favorável a aprovar uma remissão dos incentivos, com uma redução do quórum unânime necessário no Confaz para se mexer em tais incentivos. A partir da conversa, Luiz Henrique deve apresentar seu parecer de uma proposta que trata da guerra fiscal para votação na Comissão de Assuntos Econômicos do Senado.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.