• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Segurança » Febraban: BC pediu comitê de segurança para a Copa

Agência Estado

Publicação: 04/06/2014 17:13 Atualização:

O Banco Central solicitou à Federação Brasileira de Bancos (Febraban) que organizasse um comitê, do qual o órgão, outras áreas do governo e bancos façam parte, para acompanhar o período de Copa no Brasil em relação a ataques eletrônicos, segundo Murilo Portugal, presidente da entidade. "Temos uma preocupação permanente com os ataques eletrônicos que são hoje a principal forma de fraude que existe. Os bancos perdem bilhões de reais em ataques e fraudes eletrônicos e algumas dezenas de milhões de reais com ataques físicos, assaltos a agências, explosões de ATMS", disse ele, em conversa com a imprensa, após abertura do CIAB Febraban 2014.

Segundo Portugal, o comitê debate aspectos de segurança física e eletrônica e os bancos fizeram um trabalho especial para a Copa. Ele disse ainda que toda vez que há uma grande concentração o assunto de ataques eletrônicos e fraudes é de atenção, mas que a Copa é um evento positivo para o Brasil.

Em relação aos ataques físicos, o presidente da Febraban classificou a explosão de caixas eletrônicos como um "problema muito sério" e que tem crescido no Brasil. "Os bancos têm investido pesadamente em segurança física. Nós gastamos por ano R$ 9 bilhões em segurança física das agências e isso ocasionou uma queda grande nos assaltos, de cerca de 4 mil por ano no final da década de 90 para em torno de 400 por ano", disse ele.

No entanto, Portugal lembrou que os crimes migram de ambiente e no setor bancário passou para a atividade de explosão de caixas eletrônicos. Para ele, a maneira de lidar com isso é controlar o transporte de explosivos.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.