• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Na França » Estados do Nordeste são reconhecidos como livres da febre aftosa

Diario de Pernambuco - Diários Associados

Publicação: 29/05/2014 18:28 Atualização: 29/05/2014 18:41

Reconhecimento da eliminação da aftosa deve aumentar valor do rebanho nordestino e permitir novas oportunidades de negócios. Foto: Edvaldo Rodrigues/DP/D.A Press (Edvaldo Rodrigues/DP/D.A Press)
Reconhecimento da eliminação da aftosa deve aumentar valor do rebanho nordestino e permitir novas oportunidades de negócios. Foto: Edvaldo Rodrigues/DP/D.A Press
Os estados da região Nordeste foram finalmente reconhecidos livres da febre aftosa pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). A decisão foi anunciada nesta quinta-feira (29) na 82ª Seção Geral da Assembleia Mundial de Delegados, realizada em Paris, na França. Pernambuco, Alagoas, Maranhão, Paraíba, Ceará, Piauí e Rio Grande do Norte – além da região Norte do Pará ficam livres agora para comercializar carne, produtos derivados e genética entre os estados brasileiros e também para o exterior.

A expectativa é que o valor da carne suba e que a troca genética possibilite também a melhoria do rebanho local. Segundo o Ministério da Agricultura, na perspectiva das exportações, o Brasil se torna mais apto a disputar grandes mercados em crescimento, a exemplo da Rússia e do mercado asiático. Agora são 23 estados e o Distrito Federal livres da aftosa com vacinação. Apenas Santa Catarina é livre da doença, sem vacinação, desde 1998.

Fernando Góes, gerente de Defesa e Inspeção Animal da Agência de Defesa Agropecuária de Pernambuco (Adagro), comemorou a homologação pela OIE, mas ressaltou que agora o trabalho deve ser reforçado para manter as defesas sanitárias e impedir a entrada de qualquer agente que possibilite a o retorno da doença. “As vacinações devem ter sempre acima de 90% de cobertura e as barreiras sanitárias devem ser reforçadas. O trabalho aumenta bastante”, destacou.

A febre aftosa pode atingir bovinos, ovinos, caprinos e suínos. O programa nacional de combate à doença foi iniciado em 1992.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.