• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Sujeira e insetos » Atacadão da Pan Nordestina é interditado em operação conjunta; Hiper Bompreço passa na vistoria

Augusto Freitas

Publicação: 27/05/2014 11:32 Atualização: 27/05/2014 12:25

Mais um estabelecimento varejista de grande movimento no Grande Recife foi alvo de uma operação de fiscalização e interdição. Na manhã desta terça-feira (27), fiscais da Vigilância Sanitária de Olinda (Visa), Procon-PE, Delegacia do Consumidor e Ministério Público interditaram, após uma inspeção, o supermercado Atacadão, localizado na Avenida Pan Nordestina, em Olinda, por irregularidades sanitárias e riscos à saúde dos consumidores.

De acordo com informações da Vigilância Sanitária de Olinda, a vistoria constatou a presença de vetores (insetos) no expositor frutas da unidade, como baratas no setor de abacaxis. Os fiscais também flagraram frutas impróprias para consumo. Além disso, a equipe de fiscais orientou a rede varejista a reforçar o sistema de controle de pragas. Mesmo com a interdição, o órgão informou que o supermercado poderá reabrir ainda hoje caso uma faxina geral seja feita nos locais onde foram encontradas as falhas. O valor da multa não foi estabelecido, mas o supermercado deve responder um processo administrativo conforme determina a legislação sanitária.

A reportagem do Diario procurou a direção da loja para saber um posicionamento oficial sobre a interdição. Em nota enviada pela assessoria de comunicação do Atacadão, o supermercado afirmou que "atendeu prontamente às recomendações da fiscalização realizada na manhã de hoje (27)". A rede também informa que "tomará as providências necessárias para intensificar os procedimentos de higienização e dedetização da unidade e qualquer irregularidade decorrente de uma quebra de procedimento será rigorosamente apurada e corrigida". A empresa também reforçou que "os colaboradores serão reorientados quantos às normas adotadas pela rede, que atendem estritamente ao Código de Defesa do Consumidor e demais legislações pertinentes".

Esta não é a primeira vez que o Atacadão, controlado pela rede Carrefour, é interditado. Há três anos, o supermercado também foi fechado após a fiscalização constatar a presença de ratos em suas dependências. Na época, a Vigilância encontrou, entre outras falhas, caixas de papelão amontoadas e produtos como refrigerantes, biscoitos e bacalhau, todos fora do prazo de validade, ambiente favorável à proliferação de roedores.

No período da última interdição, conforme apuração da reportagem do Diario, o Atacadão foi alvo de vistorias realizadas entre junho de 2010 e janeiro de 2011. Em todas elas, o estabelecimento foi notificado sobre a necessidade de regularização das questões de higiene do local. Em março de 2012, o supermercado também já havia sido multado em R$ 20 mil por conta do grande número de produtos vencidos ou fora das condições ideais de acondicionamento. Na interdição de 2011, a unidade recebeu uma multa no valor de R$ 500 mil foi aplicada ao estabelecimento diante do cenário de risco à saúde da população.

Além do Atacadão, a equipe de fiscalização conjunta fez uma vistoria no supermercado Hiper Bompreço, localizado em Casa Caiada, também em Olinda, outro estabelecimento bastante movimentado. Segundo informações passadas pela assessoria de comunicação da Secretaria de Saúde de Olinda, o supermercado não apresentou irregularidades graves que justificassem a interdição. A fiscalização procedeu apenas com orientações em alguns setores da loja.

Com a interdição de hoje, sobre para quatro o número de supermercados flagrados com irregularidades sanitárias e autuados em Olinda nos últimos 30 dias. Os estabelecimentos Kennedy e Todo Dia, ambos localizados em Peixinhos, e o Popular, em Jardim Atlântico, já haviam sido interditados na operação conjunta de fiscalização.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.