• (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Queda » Emprego em Pernambuco tem segundo pior abril em dez anos

Thatiana Pimentel

Publicação: 21/05/2014 17:34 Atualização: 21/05/2014 18:15

O mês de abril foi o segundo pior na geração de empregos nos últimos dez anos em Pernambuco. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), foram eliminados 10.236 empregos em todo o estado. Este saldo só perde para abril de 2009, quando Pernambuco desligou 10.985 pessoas. O número deste ano também é maior que o dobro das vagas fechadas no mesmo período de 2013, que teve saldo negativo de 4.357 empregos.

Segudo o relatório do Caged, a perda de vagas foi causada por movitos sazonais relacionados às atividades sucroalcooleiras. Houve perdas na indústria de transformação (-6.555 postos) devido à influência de fatores sazonais vinculados à fabricação de açúcar. O segundo setor que teve maior perda foi o da construção civil, com o fechamento de 3.022 vagas. A agropecuária ficou em terceiro lugar, com menos 2.886 postos. Já o setor de serviços teve crescimento(+1.496 postos).

Para Rogério Leite Rocha, representante do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias de Construção de Estradas, Pavimentação e Obras de Terraplenagem de Pernambuco (Sintepav-PE), o encerramento de vagas no setor de construção civil segue o comportamento esperado. "As plantas industiais têm um prazo. Em abril, muitas obras foram finalizadas. No Complexo Portuário de Suape, esse fluxo é normal. Primeiro infla, depois escoa. Se fosse uma empresa já operando que tivesse demitindo, era um sinal ruim, mas grandes obras finalizadas não indicam problemas no setor."

O acumulado dos quatro primeiros meses do ano também foi negativo, com decréscimo de 21.933 postos. Nos últimos 12 meses, contudo, verificou-se crescimento de 2,42% no nível de emprego ou mais 31. 824 postos de trabalho. Dentre as cidades, Olinda (813), Recife (103), Jaboatão dos Guararapes (323) e Camaragibe (106) tiveram saldos positivos. Apesar disso, a Região Metropolitana de Recife (RMR) registrou decréscimo de 2.302 empregos formais. Dentre os motivos, estãos os saldos negativos do Cabo, com a perda de 1.062 vagas, e Ipojuca, que teve o pior saldo e uma perda significativa de 2.054 postos de trabalho formais.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »

Os comentários abaixo não representam a opinião do jornal Diario de Pernambuco; a responsabilidade é do autor da mensagem.